Exposição de Kruella d'Enfer tem uma mensagem "autobiográfica"
Foto
Exposição de Kruella d'Enfer tem uma mensagem "autobiográfica" DR

Kruella d’Enfer explora os lugares seguros da infância no Porto

Exposição a solo de Kruella d’Enfer tem uma mensagem “autobiográfica”. Safe Places inaugura a 5 de Outubro na Circus Network, no Porto.

A artista Kruella d'Enfer apresenta, no Porto, a exposição Safe Places, que pretende explorar os “sítios imaginários criados durante a infância” e a transição desses sítios para a idade adulta.

A galeria Circus Network recebe a primeira exposição da ilustradora e artista urbana que tem uma mensagem “autobiográfica”, com o objectivo de pensar nas coisas simples de quando se era criança e “trazê-las para a vida adulta”, sugerindo ser essa a resposta: “Não dar uma carga tão pesada a coisas negativas e simplificar, como fazias em criança”.

PÚBLICO -
Foto
Kruella d'Enfer tem agendada uma exposição em Lisboa no próximo ano DR

“[A exposição] veio da vontade de explorar os sítios que durante a infância são criados por nós para nos escondermos de coisas que nos incomodam ou temos medo, como monstros, histórias ou situações desagradáveis, e transportá-la para uma fase adulta em que esses monstros são transformados noutros sentimentos como inseguranças, tristezas ou outros obstáculos. Pensar até que ponto, nós como adultos, chegamos a esses lugares seguros para nos acalmar e para alcançar um bem-estar e conforto”, referiu a artista, em entrevista à Lusa.

Para esta mostra, Kruella trabalhou manualmente e em suportes diferentes, como madeira, placa de micro-cimento, mas a maioria das obras é “papel pintado em acrílico” para construir cenários que “a maior parte das pessoas vai reconhecer e achar que já esteve naquele sítio”. “Uma das peças é um cenário de praia, outro é no meio da floresta, acabam por ser sítios em que as pessoas se refugiam, para pensar ou descansar. Depois há outras peças que são reflexo de sentimentos que eu abordo, outras são acções. Isso tudo cria o conceito da exposição”, acrescentou.

Além disso, há duas peças que têm uma carga mais pessoal, uma delas feita em colaboração com a mãe, que é costureira, e a outra é a recriação de um trabalho que tinha feito quando tinha sete anos, aplicando o “estilo de agora”, sendo que tudo o resto “faz um conjunto e fecha um círculo de Safe Places”.

A exposição no Porto acontece a convite da Circus Network, galeria que agenciou a artista este ano, o que a deixou “muito contente” porque não costuma “correr atrás de oportunidades”, sentindo que estas surgem “por alguma razão e no tempo certo”. “Foi na altura ideal, já tinha feito em Lisboa há dois anos e senti que se encaminhariam para uma exposição aqui. Não é que seja um público desconhecido, porque já fiz colectivas e sempre tive uma reacção positiva. No Porto há uma cultura para esta área da ilustração e urbana muito maior do que outras cidades em que já estive. Espero uma reacção positiva e alcançar pessoas novas”, contou.

Nos últimos anos, Kruella tem trabalhado mais no digital, depois de no início da carreira ter optado por uma caminho mais experimental, e as exposições são uma hipótese de regressar ao manual. “No início da minha carreira não sabia trabalhar no digital, foi algo que fui aprendendo conforme me interessava explorar esse lado e havia trabalhos que me obrigavam a trabalhar no digital, então fui-me habituando a isso. Em termos de exposições, obrigo-me a trabalhar no manual e faz todo o sentido em voltar ao início de experimentar técnicas e suportes novos e criar peças com mais valor”, explicou.

Para o futuro, a artista tem agendada uma exposição em Lisboa, no próximo ano, e uma série de trabalhos comerciais, que admite gostar de fazer, procurando sempre o equilíbrio entre fazer uma exposição num ano e no seguinte trabalhar “mais em murais e participar em festivais de arte urbana”. A inauguração da exposição Safe Places vai decorrer durante a tarde de sábado, 5 de Outubro, com a presença da artista, e vai ficar patente na galeria até 30 de Outubro, com entrada gratuita.