Se não houver maioria absoluta, como vai António Costa governar?

Socialista não quer ficar com o ónus do fim da “geringonça”, mas há quem admita que fique a governar sozinho. Não se sabe como BE e PCP vão ler os resultados e Passos Coelho já não é ameaça que serviu de cola à esquerda.

Fotogaleria
Francisco Romão Pereira
Fotogaleria
Francisco Romão Pereira
Fotogaleria
Francisco Romão Pereira

António Costa não assume o que quer fazer. Ao contrário de há quatro anos, quando respondia sobre cenários pós-eleitorais, a uma semana das eleições fecha-se em copas, esconde o jogo e não quer dar pistas. Só entrará em acção no dia 7, quando conhecer preto no branco as cartas que tem para jogar e, ao mesmo tempo, souber as reacções do PCP e do BE a esses resultados. Por esta altura, mesmo que alguns alimentem secretamente a visão de uma maioria absoluta, o maior receio dos socialistas é que se concretize o cenário em que o PS não a tem, o PCP sofre um grande rombo na bancada parlamentar, e no orgulho, e o Bloco cresce em demasia, criando um problema de egos, dificultando a posição negocial socialista, acabando Costa a governar à Guterres ou a não conseguir governar. A uma semana das eleições o que há? Incerteza e silêncio.