Cofina e Media Capital: CMVM suspende negociação das acções

A CMVM diz que aguarda “a divulgação de informação relevante ao mercado”. A Cofina diz que as negociações estão a decorrer “de forma muito intensa”.

Televisão Independente
Foto
A TVI é detida pela Media Capital Nelson Garrido

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) suspendeu a negociação das acções da Cofina e do Grupo Media Capital, numa altura em que a dona do Correio da Manhã negoceia a compra da Vertix, que detém 94% da dona da TVI.

Numa nota divulgada na sua página da internet, a CMVM diz que aguarda “a divulgação de informação relevante ao mercado”. 

Depois de o Expresso ter dado conta das negociações, no dia 14 de Agosto, a Cofina confirmou que estava a negociar com a Prisa a compra da Media Capital. No dia seguinte foi a vez da empresa espanhola confirmar estar em negociações em regime de exclusividade com a empresa que detém o Correio da Manhã.

Em comunicado divulgado esta segunda-feira, a Cofina confirmava que decorriam negociações com a Prisa “que se têm desenvolvido de forma muito intensa nas últimas horas, no sentido de alcançar um acordo para a aquisição pela Cofina da Media Capital”. Ainda assim, a empresa diz não ser capaz de “estimar uma data concreta para a obtenção de acordo”, já que tal dependerá da aprovação prévia pelos órgãos de administração da Cofina e da Prisa.

“Os efeitos transmissivos de um acordo que venha a ser alcançado ficarão, de todo o modo, sujeitos às condições suspensivas legais e ou contratuais que nele venham a ser previstas”, lê-se ainda no comunicado. Se as negociações entre as duas empresas forem concluídas, com a formalização de um contrato de compra e venda, “a Cofina procederá simultaneamente à divulgação de um anúncio preliminar de oferta pública de aquisição sobre as acções remanescentes da Media Capital”.

No dia 16 de Agosto, a Cofina adiantou estar a negociar com a Prisa a aquisição da Vertix, que detém 94,69% da Media Capital, admitindo lançar uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre a dona da TVI.

No mesmo dia, o Sindicato dos Jornalistas (SJ) manifestou-se “preocupado” com o impacto de uma eventual compra da Media Capital pela Cofina, “nomeadamente no que respeita à concentração dos ‘media’” e à manutenção dos postos de trabalho.

“A excessiva concentração dos media tem repercussões ao nível da pluralidade e qualidade da informação e, nesse sentido, o SJ considera que a Entidade Reguladora para a Comunicação Social tem de se pronunciar rapidamente sobre o negócio em curso”, refere o sindicato, em comunicado.

A Cofina detém Correio da Manhã, CM TV, Sábado, Record, Jornal de Negócios, entre outros. Por sua vez, a Media Capital detém os canais TVI, a rádio Comercial, entre outros meios.