Torne-se perito

Angola: Militares e polícias são os que mais fogem à paternidade

A campanha Paternidade Responsável: Eu Apoio tenta contrariar a fuga à paternidade, uma das causas do baixo número de crianças registadas em Angola.

Foto
Para combater o fenómeno da fuga à paternidade, o governo angolano lançou, em Dezembro passado, a campanha de registo de nascimento Paternidade Responsável: Eu Apoio Sandra Bernardo

O Instituto Nacional da Criança (INAC) registou, entre Janeiro e Fevereiro deste ano, 270 casos de fuga à paternidade, fenómeno em que estão implicados sobretudo militares e polícias.