PJ deteve dois suspeitos de atear fogos em Arcos de Valdevez e Ponte da Barca

Ambos os suspeitos, um homem de 64 anos e uma mulher de 65, terão actuado “num quadro de vingança”.

Foto
PAULO NOVAIS/LUSA

Um homem de 64 anos detido na sexta-feira pela presumível autoria de um incêndio florestal em Padreiro Sana Cristina, Arcos de Valdevez, vai aguardar julgamento em prisão preventiva, anunciou esta segunda-feira a Polícia Judiciária (PJ).

Em comunicado, a PJ refere que o incêndio consumiu uma área de 500 metros quadrados de ervas e arbustos, “não tendo atingido outras proporções devido à pronta intervenção de populares e dos bombeiros, que rapidamente extinguiram o fogo, antes de atingir uma habitação situada nas proximidades”.

O detido é residente na freguesia em que ocorreu o incêndio e, segundo a PJ, “actuou num quadro de vingança, utilizando para o efeito um isqueiro que possuía e que foi apreendido”.

A mesma força policial anunciou ainda, esta segunda-feira, a detenção de uma mulher de 65 anos pela presumível autoria de um incêndio florestal ocorrido na sexta-feira em Lavradas, Ponte da Barca, distrito de Viana do Castelo.

A PJ refere em comunicado que este incêndio consumiu uma área de 200 metros quadrados de floresta e destaca novamente a rápida intervenção dos populares e autoridades que evitaram que as chamas atingissem “habitações situadas nas proximidades e uma área florestal mais extensa”.

Segundo a PJ, a detida, doméstica e habitante na freguesia onde ocorreu o incêndio, “ateou o fogo motivada por um quadro de vingança”. Presente a tribunal, foi-lhe aplicada a medida de apresentações bissemanais no posto policial da sua área da sua residência. O juiz mandou ainda efectuar uma perícia psiquiátrica à arguida para aferir da eventual necessidade de ser decretado o seu internamento.