Jameson elege Lisboa para estrear tour mundial e bar pop up

É na capital portuguesa que a marca irlandesa de whisky testa a digressão. Até 28 de Setembro, é possível conhecer na LX Factory a sua história desde 1780, fazer uma degustação e continuar a prova no bar.

Fotogaleria
No bar Pedro Fazeres
Fotogaleria
Nas provas de whisky Pedro Fazeres
Fotogaleria
No bar Pedro Fazeres
Fotogaleria
Prova de whisky Pedro Fazeres
Fotogaleria
Com barbearia Pedro Fazeres

À entrada da LX Factory, há um novo recanto de contentores verde-escuro em redor de uma esplanada em deck de madeira. Durante um mês, a Jameson Distillery on Tour assenta arraiais em Lisboa, a cidade escolhida para testar o novo conceito da marca irlandesa: levar parte da experiência que se vive na antiga destilaria em Bow Street, Dublin, em périplo pelo mundo.

Numa visita de 30 minutos, é possível ficar a conhecer a história da marca, criada em 1780 na capital irlandesa por John Jameson, assim como todas as etapas de fabrico do whisky, dos ingredientes aos processos de destilação e de maturação numa apresentação interactiva.

Enquanto o guia Ricardo Mendes vai narrando o vídeo projectado, existem na sala três bancadas com ingredientes, onde é possível ir experimentando os aromas das diferentes cevadas utilizadas (maltada e não maltada), das fases de destilação ou dos dois tipos de barris utilizados na fase de maturação (bourbon e xerez). No final, os visitantes sobem ao andar de cima para uma prova comentada, com whisky irlandês, escocês e norte-americano.

PÚBLICO -
Pedro Fazeres
PÚBLICO -
Pedro Fazeres
Fotogaleria
Pedro Fazeres

A experiência custa 15€, com direito a uma bebida no bar com esplanada, aberto ao público geral. Na carta: whisky com ou sem gelo (6€) e vários cocktails feitos a partir da bebida (entre 7€ e 10€).

Mas há mais no quarteirão da destilaria irlandesa em Lisboa: um carrinho de gelados da Artisani, uma barbearia e uma loja de tatuagens (vão revezar-se semana a semana) e uma loja de merchandising da marca, com artigos habitualmente à venda apenas no espaço museológico criado na antiga fábrica em Bow Street (a produção mudou-se entretanto para instalações maiores e mais modernas em Midleton, no sul da Irlanda).

Todos os espaços estão abertos das 17h às 23h durante a semana e das 12h às 23h ao fim-de-semana.

A ideia já estava em estudo nos escritórios da Irish Distillers, detentora da marca e filiada do conglomerado francês de bebidas Pernod Ricard. Mas foi numa “reunião cá em Portugal” que o conceito acabou por sair do papel, conta à Fugas Bruno Calvão, director de marketing da empresa em Portugal.

“Estavam à procura do país para receber esta experiência [pela primeira vez] e a decisão sobre Portugal teve três factores decisivos.” Enumera: é o terceiro país do mundo onde a marca “goza de uma melhor brand equity [imagem] junto dos consumidores”; detém a liderança do “mercado total de consumo em valor” em Portugal; e é um destino “trendy” neste momento, Lisboa em particular.

PÚBLICO -
Foto
Pedro Fazeres

Todas as áreas que compõem este espaço pop up distribuem-se por contentores (à excepção do bar, instalado numa velha carrinha). O conceito foi “todo montado nesta lógica de trazer a experiência da destilaria num formato que permita viajar de país em país e de ser facilmente montada” em qualquer lado.

No entanto, ainda não há próximo destino para a Distillery on Tour. “Este é um projecto pioneiro, nunca feito no grupo e, o que é certo, é que estamos a começar agora”, comenta Bruno Calvão. “O objectivo é testar, ver resultados, afinar a operação e depois a marca, internacionalmente, vai decidir para onde irá esta experiência.”

Para já, a estreia é feita em Lisboa, onde vai ficar de 29 de Agosto a 28 de Setembro. Mas não está descartada a hipótese de ser prolongado. “Já pensámos que, possivelmente, um mês seria pouco. Mas, neste momento, vamos continuar com os planos.”