unsplash
Foto
unsplash

Quatro dias, 40 jovens, 70 oradores: a Europa está em debate em Monsaraz

De 27 a 30 de Agosto, a vila de Monsaraz, no distrito de Évora, é palco de debates e exercícios práticos sobre o projecto europeu. O evento é organizado pela Comissão Europeia e reúne cerca de 40 jovens e 70 oradores.

A terceira edição do SummerCEmp, uma iniciativa da representação da Comissão Europeia em Portugal, arranca a 27 de Agosto e vai reunir cerca de 40 jovens e 70 oradores em Monsaraz, vila do distrito de Évora, para que sejam debatidas as questões europeias através de conversas e actividades práticas como workshops.

Esta escola de Verão de assuntos europeus, que junta os protagonistas de Portugal na Europa com os jovens, prolonga-se até 30 de Agosto. “Parar, escutar e olhar” para a Europa é o que propõe a iniciativa, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Monsaraz. Segundo Raquel Patrício Gomes, coordenadora do SummerCEmp, pretende-se “estreitar distâncias” e “ouvir o que jovens e oradores têm para dizer sobre a sua Europa”.

Orientada preferencialmente para estudantes de jornalismo, ciências da comunicação, ciência política ou relações internacionais, entre os 18 e os 30 anos, a iniciativa recebeu 160 candidatos, dos quais foram seleccionados 40. As candidaturas, lançadas na página oficial da Comissão Europeia em Maio, foram feitas online e “analisadas ao pormenor" para seleccionar “não quem gosta mais da Europa”, mas “quem é que, pelo seu percurso, quer vir falar sobre a Europa”. Em “cenários muito improváveis”, como o Castelo de Monsaraz, o Jardim de Monsaraz ou a Igreja de Santiago, a Comissão Europeia quer “envolver os futuros líderes de opinião neste debate sobre a União Europeia”, explica a coordenadora.

A ideia de criar um SummerCEmp surgiu porque a equipa da representação da Comissão Europeia em Portugal quis “estar perto dos jovens universitários”, nomeadamente em zonas do interior do país, locais onde “parece haver a percepção de que a Europa não chega”. Inteiramente gratuito, o programa incentiva os jovens “a ficar em alojamentos locais porque é o que lhes permite fazer uma imersão na cultura e na comunidade”, adianta a responsável, acrescentando que todos os participantes se destacam pela “heterogeneidade entre si”.

O programa da terceira edição, que acontece na vila medieval de Monsaraz (o evento já decorreu na aldeia de Monsanto e na vila de Marvão, em 2017 e 2018, respectivamente), abre com uma sessão com o ministro das Finanças e presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, intitulada “A Europa vista por Portugal”.

Entre os oradores estão dois comissários europeus, o português Carlos Moedas e o britânico Julian King; os eurodeputados Marisa Matias, Lídia Pereira e Francisco Guerreiro; dois ministros (Mário Centeno e Tiago Brandão Rodrigues, da Educação) e uma secretária de Estado (Ana Paula Zacarias, dos Assuntos Europeus); os deputados Pedro Mota Soares e Duarte Marques; o embaixador da UE junto das Nações Unidas, João Vale de Almeida; a directora do Escritório do Fundo das Nações Unidas para a População em Genebra, Mónica Ferro; o Alto-comissário para as Migrações, Pedro Calado; o director-adjunto do PÚBLICO, Amílcar Correia, que fará o papel de moderador; a cientista Elvira Fortunato e a artista Kátia Guerreiro, que vai cantar o hino da Europa com o Grupo de Cante Alentejano de Monsaraz. 

O grande objectivo, para Raquel Patrício Gomes, é reunir todos aqueles que “querem falar sobre a Europa num contexto mais informal e de forma mais progressiva” e não apenas num dia ou num evento isolado.