Mercado liberalizado de gás natural cresce 4,4% em Maio

O mercado liberalizado de gás natural já chegou aos 1,216 milhões de clientes, segundo dados da ERSE, que revela que o consumo no mercado livre representava em Maio cerca de 98% do consumo total registado em Portugal continental.

Ônibus
Foto
daniel rocha

O mercado liberalizado de gás natural atingiu 1,216 milhões de clientes em Maio deste ano, um aumento de 4,4% em relação ao período homólogo, revelou hoje a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

O organismo, que publicou o seu boletim sobre este segmento, adiantou que, em relação a Abril, o número de clientes de gás natural no mercado liberalizado aumentou em 4,4 mil, um crescimento de 0,4%.

“Após um período de aceleração das migrações para o regime de mercado, desde Maio de 2018 que o crescimento do número de clientes no ML [mercado liberalizado] registou uma taxa média mensal de aproximadamente 0,4%”, adiantou a ERSE.

No mesmo boletim, o regulador constatou que em termos de consumo, em Maio se registou um decréscimo de 37 GWh (gigawatts hora) face a Abril de 2019, atingindo 42.158 GWh, o que reflecte um decréscimo de 0,1% face ao mês anterior e um acréscimo de 1,5%, relativamente ao mês homólogo de 2018.

A ERSE revelou ainda que “o consumo no mercado livre representava em Maio cerca de 98% do consumo total registado em Portugal continental” no período em causa.

De acordo com a ERSE, todos os grandes consumidores já estão no mercado livre, sendo que no mês em análise houve “uma diminuição da percentagem de consumo do segmento de clientes industriais no mercado liberalizado face ao mês de Abril, representando no mês de Maio cerca de 95% do consumo total do segmento”.

O mesmo boletim mostra que a Galp “manteve a sua posição como principal operador no mercado livre em consumo (61%)” e que “a EDP Comercial garantiu a sua posição de liderança em número de clientes (54%), apesar da quebra registada desde Maio de 2018”.

No que diz respeito aos clientes industriais, a Galp “continua a liderar”, com 57%, bem como nos grandes consumidores (66%) “registando um aumento da sua quota no segmento dos grandes consumidores e uma diminuição no segmento dos clientes industriais”.

A EDP, por sua vez, “mantém igualmente a liderança nos segmentos das PME (49%) e residencial (54%), apresentando uma redução de respectivamente 1,9 p.p. [pontos percentuais] e 0,5 p.p., no mês de Maio”, de acordo com a ERSE.