Manifestantes enfrentam a polícia na Caxemira

Protesto no mesmo dia em que o Conselho de Segurança das Nações Unidas discute o que se passa na região cuja automomia foi suspensa pelo Governo nacionalista hindu de Narendra Modi.

Fotogaleria
Protesto no bairro Soura, em Srinagar FAROOQ KHAN/EPA,FAROOQ KHAN/EPA
Fotogaleria
Protesto em Srinagar FAROOQ KHAN/EPA

Centenas de manifestantes enfrentaram a polícia em Srinagar, a capital de Jammu e Caxemira. A polícia usou gás lacrimogéneo e balas de pequeno calibre para dispersar a multidão, diz a AFP.

No 12º dia de controlo total do território do estado de Jammu e Caxemira pelas autoridades indianas, após o estatuto de autonomia que lhe era garantido pela Constituição indiana ter sido abruptamente suspenso pelo Governo nacionalista hindu de Narendra Modi, os protestos começam a tomar alguma proporção, apesar de terem sido cortadas todas as comunicações naquele território.

Segundo a agência noticiosa francesa, a manifestação começou no bairro de Soura, onde antes já houve alguns pequenos protestos. Tentaram desfilar na rua principal, atirando pedras à polícia, enquanto um drone sobrevoava a cena, descreve um repórter da AFP.

“Exigimos o que nos é devido, exigimos que a Índia cumpra as suas promessas”, explicou um manifestante.

O jornal Times of India diz que todas as bases militares indianas em Jammu e Caxemira estão em estado de alerta contra possíveis ataques de grupos militares apoiados pelo Paquistão. O exército indiano disse ter frustrado múltiplas tentativas de infiltração no território durante a noite passada de “terroristas apoiados pelo exército do Paquistão”.

Esta sexta-feira, a situação na Caxemira é discutida no Conselho de Segurança das Nações Unidas, a pedido do Paquistão, numa reunião à porta fechada. O Presidente do Paquistão, país que faz fronteira com este estado indiano, e que tem interesses na região, por se tratar de uma zona de maioria muçulmana, falou com o Presidente norte-americano Donald Trump sobre o assunto horas antes da reunião, anunciou o ministro dos Negócios Estrangeiros paquistanês, Mehmood Qureshi.