Pianista e cantor brasileiro Rafa Castro apresenta Fronteira em Belém

O Espaço Espelho d’Água, em Lisboa, recebe este domingo o pianista, compositor e também cantor brasileiro Rafa Castro, que ali apresentará ao vivo o seu mais recente disco. Às 19h.

Paulo Miklos
Foto
Rafa Castro LORENA DINI

Minas Gerais tem dado muitos e bons músicos ao Brasil. Um deles, ali nascido há três décadas, é o pianista, compositor e também cantor Rafa Castro, que apresenta agora em Portugal o seu terceiro disco, Fronteira, que conta com a participação de músicos como Mônica Salmaso, Teco Cardoso e Léa Freire. O disco, lançado no Brasil em 2017, com arranjos de cordas de Neymar Dias e produção musical e Luiz Ribeiro, é apresentado este domingo ao vivo em Lisboa, no Espaço Espelho d’Água (em Belém), pelas 19h.

Nascido em São João Nepomuceno, Rafa Castro reside desde 2017 em São Paulo. Na adolescência, começou pelo violão, descobrindo aos 19 anos o piano, instrumento ao qual viria a dedicar-se. Na Universidade de Música Popular Bituca (Barbacena, Minas Gerais) estudou, diz a sua biografia, “com figuras ilustres como o teórico da música brasileira Ian Guest e o violonista Gilvan de Oliveira, entre outros.”

Distinguido, em 2011, com o prémio BDMG, de Belo Horizonte (MG), na categoria “Jovem Instrumentista”, iniciou em 2012 uma carreira a solo, ao longo da qual já compôs várias bandas sonoras para cinema e teatro e lançou os discos Teias (2014, CD e DVD com Túlio Mourão), Casulo (2016) e Fronteira (2017). Este último, explica, “é um momento de descobrimento, no qual trago a carga afectiva das minhas influências. Consegui juntar dois pilares, a ‘música de minas’ e meu trabalho de trilhas sonoras, num resultado que faz sentido para mim. Todos os músicos que participam têm a versatilidade de serem instrumentistas de jazz, ligados à música instrumental e ao mesmo tempo, conhecedores do cancioneiro popular”.

Síntese de influências

Com um total de 10 temas, alguns em parceria (com nomes como Bernardo Maranhão, Vinicius Steinbach, Pablo Bertola e Thomaz Panza), o disco “mostra novas possibilidades das criações de Rafa Castro, dá um panorama da evolução do artista nessa década de actuação”. Fronteira, a faixa-título, segundo o artista, é uma síntese de suas influências, incluindo até uma citação do célebre Cais, de Milton Nascimento e Ronaldo Bastos.

Pelo Espelho d’Água têm já passado, desde 2016, muitos músicos brasileiros: Bianca Gismonti (com a cantora portuguesa Maria João), Tiê, Pélico, Tulipa Ruiz, Filipe Catto, César Lacerda, Camará, Túlio Mourão, Felipe Antunes e Jackeline Stefanski, Fernando Catatau, Bruna Caram, Maíra Baldaia, Paulo Padilha, Guilherme Ventura, Luciano Maia, Wanda Sá, Javier Subatin, os Silibrina, Helio Flanders, LaBaq, Luca Argel e Josyara Lélis.