Saldos de taxas de juro? O Santander está a fazer

O crédito ao consumo tem crescido de forma muito expressiva em Portugal e os “saldos” do Santander são um exemplo da aposta que os bancos fazem na contratação de empréstimos online.

Foto

Por email e por mensagem para o telemóvel, o Santander está este sábado a contactar clientes para o último dia de “saldos”. Trata-se de uma campanha no crédito pessoal, a contratar via Internet, a uma taxa anual bruta (TAN) de 6,99%, uma redução de cerca de um ponto percentual face à taxa 8% publicitada pela instituição.

Com despesas e comissões, a taxa anual de encargos efectiva global (TAEG), a que os clientes pagam efectivamente, sobe para 10,8%, num empréstimo de 7500 euros, a 60 meses, de acordo com simulação feita pelo próprio banco. Custo total do empréstimo a suportar pelo consumidor é de 9 517,61 euros, cerca de dois mil euros mais face ao valor do empréstimo.

Com como é anunciado pela instituição, um empréstimo de 7500 euros corresponderá a uma prestação mensal de 149,46 euros, a pagar durante cinco anos.

O crédito ao consumo tem crescido de forma muito expressiva em Portugal e os “saldos” do Santander são um exemplo da aposta que os bancos fazem na contratação de empréstimos online.

 Em 2018, em termos agregados, foram concedidos 7,4 mil milhões de euros (mais 10,1%), em cerca de 1,5 milhões de contratos de crédito aos consumidores, segundo dados dados divulgados esta semana pelo Banco de Portugal.

No crédito pessoal, uma das componentes de crédito aos consumidores, o aumento em montante foi de 11,8%.