Opinião

Brincar com o fogo: uma ode à trapalhada em política

Este atabalhoamento de processos mostra uma inconsciência pueril em face dos perigos que enfrentamos. O cheiro a queimado vai continuar por aí.

As temperaturas voltaram a subir e, sem surpresa, o país ardeu. Em brinde, tivemos um desentendimento em prime time entre o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, e o presidente da Câmara de Mação, Vasco Estrela. A troca de galhardetes mostra que Portugal ainda anda à deriva na política de prevenção e combate a incêndios, dois anos depois da tragédia de 2017, e apesar dos sinais de alarme que se vão adensando.