“Comentador televisivo”? “Ofensa de carácter”, responde autarca de Mação a ministro

Presidente da câmara classifica acusação de Eduardo Cabrita como “indigna de um membro do Governo”. Polémica nasceu depois de críticas dos autarcas à resposta aos fogos da protecção civil.

Foto
Reuters/RAFAEL MARCHANTE

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, respondeu às críticas dos autarcas sobre a falta de meios no local, alegando que o presidente da Câmara de Mação, Vasco Estrela, agiu como um “comentador televisivo”. As críticas do ministro, feitas na RTP esta terça-feira, motivaram uma resposta do autarca: “Não entro num campo da ofensa de carácter. O que o senhor ministro fez é indigno de um membro do Governo.”

Enquanto o incêndio, que deflagrou no sábado, consumia os terrenos do concelho, Vasco Estrela apontou o dedo à falta de meios usados no combate ao incêndio. Considerou também legítimo que as populações questionem “onde é que estava esta gente toda”, quando observaram a chegada dos meios por volta das 23h de domingo e que “não foram vistos durante quase 48 horas no concelho de Mação”. 

Já Eduardo Cabrita defendeu na terça-feira à noite que “os autarcas são parceiros fundamentais e são os principais responsáveis pela protecção civil nos seus municípios”.

Por um lado, diz Cabrita, “Sertã e Vila de Rei activaram imediatamente os planos municipais de emergência, prestaram todo o apoio logístico aquilo que foi uma operação de protecção civil de grande dimensão, que envolveu mais de 1000 operacionais”. O mesmo não se terá passado no concelho vizinho. “Mação acabou por não promover a activação do Plano Municipal de Emergência, não dar cooperação ao esforço de protecção civil.”

Ouvido pela RTP, o presidente da Câmara de Mação, Vasco Estrela, respondeu a Eduardo Cabrita: “Eu posso discutir e discordar de acções que são tomadas, mas não entro num campo da ofensa de carácter. O que o senhor ministro fez é indigno de um membro do Governo porque ofendeu o meu carácter ao vir dizer que eu me preocupei mais em ser comentador televisivo do que em proteger os cidadãos do meu concelho. É uma vergonha.”

No que diz respeito à activação do Plano de Emergência Municipal, Vasco Estrela disse à Rádio Observador que a aprovação do plano lhe foi comunicada às 12h40 de terça-feira. “Estranhamente, passado umas horas, o senhor ministro vem com esta afirmação. Não podia accionar um plano que não estava aprovado apesar de estar na Autoridade Nacional desde Março, à espera de ser aprovado.”

Ainda sobre a alegada falta de meios, o ministro da Administração Interna disse que “os bombeiros estiveram com coragem nesta missão e foram mobilizados em grupos de Beja ao Porto”. E deixou um aviso: “Quem entenda que não vamos ter incêndios de grande dimensão neste ano ou nos próximos está a fazer pura demagogia.”