Destino das Redes Locais de Intervenção Social decidido caso a caso

A Segurança Social deverá absorver os processos de famílias acompanhadas em algumas estruturas e, quando entender necessário, propor acordos atípicos a instituições de solidariedade para que se mantenham a trabalhar.

Pobreza
Foto
Daniel Rocha

A incerteza marca o fim das Redes Locais de Intervenção Social (RLIS), uma espécie de frente avançada dos serviços de acção social. Tradicionalmente eram uma competência exclusiva da Segurança Social mas, nos últimos três anos, têm estado a ser prestados por misericórdias, mutualidades ou instituições particulares de solidariedade social. O destino destes 128 projectos está a ser decidido caso a caso.