Marcelo convidou em Novembro Trump a visitar Portugal mas diz que nada está confirmado

Sobre eventual visita em Agosto, o Presidente da República disse que ainda não há qualquer confirmação.

Foto
Marcelo falou sobre Trump à saída da European Innovation Academu LUSA/António Pedro Santos

O chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta segunda-feira que, em Novembro do ano passado, em Paris, convidou formalmente o Presidente norte-americano a visitar Portugal, mas acrescentou que nada está confirmado.

“Convidei, de maneira assim mais formal e clara, em Paris, por altura do armistício, em 11 de Novembro”, declarou Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas, à saída de uma iniciativa no Centro de Congressos do Estoril.

Questionado sobre em que ponto está o processo de marcação da visita, o Presidente da República respondeu: “Não há confirmação nenhuma”.

Marcelo Rebelo de Sousa já tinha dito no sábado à noite, em Paris, que tinha feito esse convite a Donald Trump da última vez que tinha estado na capital francesa, em Novembro, adiantando que o Presidente dos Estados Unidos da América “disse logo na ocasião que estava muito interessado e disponível a visitar Portugal”.

Contudo, sobre uma eventual visita a realizar no final de Agosto, o chefe de Estado referiu: “Não temos confirmação ainda relativamente a essa visita”.

O comentador de política internacional Nuno Rogeiro foi o primeiro a falar numa visita de Donald Trump em breve a Portugal, no seu programa na SIC “Leste/Oeste”, no dia 7 de Julho, reportando que “neste momento há uma tentativa de reservar 150 quartos num grande hotel de Lisboa para uma comitiva de Donald Trump e da mulher, Melania”, para Agosto, “provavelmente entre 25 e 27”.

Marcelo já esteve na Casa Branca

Marcelo Rebelo de Sousa foi recebido por Donald Trump na Casa Branca, em Washington, no dia 27 de Junho do ano passado.

A seguir, em declarações à comunicação social portuguesa, questionado se convidou o Presidente norte-americano a visitar Portugal, respondeu: “Esses convites são formulados formalmente pelos canais próprios. E estes encontros não são encontros vocacionados para esse tipo de convite. Aquilo que era prioritário foi atingido”.

“Não era essa a finalidade do encontro. E, portanto, não pertence à natureza do objecto do encontro”, acrescentou, na altura, explicando que convida os seus homólogos a visitar Portugal, “normalmente, quando assumem funções, formalmente”.

“Felicito e convido. Aqui, não se tratava de formular um convite específico para essa visita”, reforçou.

Marcelo Rebelo de Sousa foi o quarto Presidente português eleito em democracia a ser recebido na Casa Branca, em Washington, pelo chefe de Estado dos Estados Unidos da América, depois de Ramalho Eanes, em 1978 e 1983, Mário Soares, em 1987, 1989, 1992 e 1993, e Cavaco Silva, em 2011.

Dos anteriores presidentes da República eleitos, apenas Jorge Sampaio - que recebeu Bill Clinton em Lisboa quando este estava a terminar o segundo mandato, no ano 2000, e depois teve como homólogo George W. Bush durante o período tenso da guerra do Iraque - não esteve na Casa Branca.

Neste período de cerca de 40 anos desde as eleições presidenciais portuguesas de 1976, quase todos os chefes de Estado norte-americanos realizaram visitas oficiais a Portugal. Jimmy Carter, em Junho de 1980, Ronald Reagan, em Maio de 1985, Bill Clinton, entre Maio e Junho do ano 2000, e Barack Obama, em Novembro de 2010.

Sugerir correcção