Trump a caminho de Portugal para travar apetite chinês

Embaixada norte-americana em Lisboa está desde Junho preparada para decisão final de Trump. Visita ainda não tem data definitiva, mas Sines deverá fazer parte do menu.

,Presidente
Foto
Trump deverá aceitar o repto lançado por Marcelo em Washington, em Junho de 2018 LUSA/ANTónIO COTRIM

Donald Trump deverá visitar Portugal em breve, aceitando o repto lançado por Marcelo Rebelo de Sousa em Washington, em Junho do ano passado. Um dos pontos da agenda serão os investimentos norte-americanos, nomeadamente o eventual interesse no concurso internacional para a ampliação do terminal de contentores de Sines.

A TVI noticiou esta quinta-feira ser muito provável” que o Presidente dos Estados Unidos visite Portugal no final de Agosto, uma visita de um dia antes de partir para Espanha. O Ministério dos Negócios Estrangeiros comentou à TVI “não ter nada a dizer a propósito de uma eventual visita” de Trump.

O PÚBLICO confirmou que já houve esforços diplomáticos para que esta visita ocorresse primeiro em Junho e depois em Julho. O mês poderá agora ser Agosto, sendo que a Casa Branca com Trump não anuncia deslocações com muita antecedência.

Actualmente, o terminal de contentores de Sines, por onde entra um terço do gás liquefeito exportado pelos EUA para a Europa, é gerido por Singapura

O concurso para a construção do novo Terminal de Sines, apelidado de Vasco da Gama, será lançado em breve pelo Governo, tendo a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, já anunciado que será feita uma concessão por 50 anos.

Em Junho, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, desafiou os EUA a concorrerem a uma presença no Porto de Sines, defendendo que seria importante estrategicamente como porta de entrada para a Europa. “Os que estão ausentes estão sempre errados”, disse, numa intervenção em inglês, na Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD), em Lisboa. 

“Vai haver uma decisão sobre Sines. É óbvio, há décadas, que é um ponto vital para entrar na Europa”, disse o Presidente português, acrescentando: “Vocês têm de estar lá quando chegar o momento”.

Marcelo salientou que “os chineses têm sempre um ministro a visitar Sines, quase todos os meses, e não é o único caso, outros países asiáticos também”. Segundo o chefe de Estado, o embaixador norte-americano em Lisboa “está a trabalhar nisso” e “sabe que o tempo está a esgotar-se”. 

O embaixador norte-americano em Portugal é George E. Glass, um ex-banqueiro de investimento que passou também pelo ramo imobiliário e que é há vários anos financiador de campanhas dos republicanos.

O PÚBLICO tentou obter um comentário da embaixada norte-americana em Portugal, sem sucesso até ao momento. Com Nuno Ribeiro