Ana Catarina Nogueira e Sofia Araújo estreiam-se no Open de Valência

Já sem jogadores masculinos, afastados no qualifying, as duas padelistas serão nesta quarta-feira as representantes nacionais no quadro principal do torneio do World Padel Tour.

Sofia Araújo é favorita nos 16-avos-de-final do Open de Valência
Fotogaleria
Sofia Araújo é favorita nos 16-avos-de-final do Open de Valência DR
Fotogaleria
Diana da Silva em Valência
Fotogaleria
Vasco Pascoal em Valência
Fotogaleria
Margarida Fernandes em Valência
Fotogaleria
Ricardo Martins em Valência
Fotogaleria
Miguel Oliveira em Valência

Após a histórica participação no Euro Finans Swedish Padel Open, prova onde se tornou no primeiro atleta português a atingir a final de um Open do World Padel Tour (WPT), Ana Catarina Nogueira regressa nesta quarta-feira ao circuito internacional. No Open de Valência, a melhor jogadora nacional (n.º 16 do WPT) vai defrontar nos 16-avos-de-final a dupla formada por Lorena Alonso e Carla Mesa. Em prova na cidade espanhola estará também Sofia Araújo. A n.º 27 do circuito terá como primeiras adversárias Marta Talaván e Elena Ramírez.

Os dois jogos estão agendados para a mesma hora (17h00) e em ambos as portuguesas são favoritas. A atravessar um excelente momento depois de atingir nos dois últimos torneios os quartos-de-final no Master de Valladolid e a final do Open de Bastad, Ana Catarina Nogueira voltará a ter ao seu lado a esquerdina Paula Josemaría (n.º 19) e, em teoria, a parelha luso-espanhola é mais forte do que Lorena Alonso (n.º 45) e Carla Mesa (n.º 25).

PÚBLICO -
Foto
Paula Josemaría e Ana Catarina Nogueira durante o Open de Bastad

Também ao final da tarde desta quarta-feira, a dupla luso-argentina formada por Sofia Araújo e María Virgínia Riera (n.º 29) está melhor cotada do que as rivais espanholas nos 16-avos-de-final: Marta Talaván, n.º 41; Elena Ramírez, n.º 47.

Apesar de o quadro principal do Valência Open começar apenas nesta quarta-feira, Ana Catarina Nogueira e Sofia Araújo não foram as únicas portuguesas que marcaram presença no Open valenciano.

Na segunda-feira, Margarida Fernandes (n.º 106), ao lado da italiana Carlotta Vannicelli (n.º 92), conseguiu afastar Rebeca Lopez e Laura Castillo (7-5 e 6-3), mas a jogadora de Lisboa não superou o obstáculo seguinte: as espanholas Marta Sánchez (n.º 78) e Marta Maldonado (n.º 76) confirmaram o favoritismo e triunfaram, por 6-3 e 6-1.

Diana da Silva também começou o ser percurso em Valência na segunda-feira e também superou o primeiro obstáculo. Ao lado de Olga Carmona (n.º 143), a jogadora nortenha conseguiu uma boa vitória ao afastar a dupla formada pela veterana Carmen León Solana e por Sabela Barciela Rodríguez: 2-6, 6-3 e 6-2.

Seguiu-se, já nesta terça-feira, um duelo na segunda ronda da pré-qualificação, que terminou da pior forma para Diana da Silva (n.º 115). Após perderem o primeiro set no tie-break (6-7), a dupla luso-espanhola abandonou o encontro contra Maria del Mar Salazar (n.º 113) e Juncal Menéndez (n.º 139), quando perdia por 2-4.

Homens fora do quadro principal
A participação portuguesa no Valência Open começou, porém, bem antes de as senhoras entrarem em acção, com a pré-qualificação masculina, que arrancou no domingo. Os primeiros a serem eliminados na cidade espanhola foram Ricardo Martins (n.º 184) e Sebastião Mendonça (n.º 260). Os dois portugueses tiveram pela frente Jesús Bohorquez (n.º 174) e Ismael Aguilera (n.º 272), e o jogo confirmou o equilíbrio entre as duas duplas, mas os espanhóis foram mais fortes e venceram em três sets: 7-6, 4-6 e 5-7.

Bem mais longo foi o percurso de Vasco Pascoal. Fazendo parelha com o sevilhano Francisco Jurado Sosa (n.º 156), o número 113 do WPT começou por defrontar na manhã de domingo Gustavo Jimenez e Julio Perez Luque, e garantiu o apuramento com relativa facilidade: 6-1 e 6-4.

O jogo seguinte foi mais complicado. No duelo com Jorge Señorán Frutuoso (n.º 143) e Jaime Menéndez Gil (n.º 126), Pascoal e Sosa perderam o primeiro set (4-6), mas conseguiram seguir em frente após vencerem os dois seguintes (6-2 e 6-3).

PÚBLICO -
Foto
Miguel Oliveira foi afastado em três sets

Seguiu-se, já na segunda-feira, um confronto com uma dupla melhor cotada - José María Mouliaa (n.º 100) e Eduardo Alonso Chillarón (n.º103) -, mas a parceria luso-espanhola voltou a sair vencedora: vitória por 6-4, 3-6 e 6-1.

Com o terceiro triunfo em Valência, Pascoal assegurou a passagem ao quadro do qualifying, onde encontrou o terceiro português a entrar em prova: Miguel Oliveira. Ao lado de Christian Fuster Simarro (n.º 71), o jogador nacional melhor classificado no WPT (n.º 67) entrava no court como favorito e não facilitou: Oliveira derrotou Pascoal, por 6-2 e 7-5.

Com a vitória, Miguel Oliveira e Christian Simarro ficavam a dois triunfos de atingir o quadro principal, mas para isso tinham que começar por derrotar os argentinos Gonzalo Díaz (n.º 51) e Aris Patiniotis.

O jogo não começou bem para o padelista lisboeta, que perdeu primeiro set (4-6). Oliveira e Simarro reagiram e igualaram o encontro, com um triunfo pelo mesmo resultado (6-4) e acabou por ser tudo decidido no tie-break do terceiro set, onde os argentinos foram mais felizes (6-7).

O último português a pisar os courts de Valência foi Diogo Rocha. Ao lado do espanhol Antonio Luque, que joga regularmente nas provas do circuito português, o portuense começou por sentir dificuldades contra uma dupla menos cotada (Marc Bernils e Jeremy Scatena) e precisou de três sets para seguir em frente: 7-6, 1-6 e 6-3.

PÚBLICO -
Foto
Diogo Rocha e Antonio Luque no qualifying de Valência

Os opositores seguintes eram bem melhor classificados (Jordi Muñoz, n.º 55; Matías Nicoletti, n.º 61) e a dupla Rocha/Luque acabou por dar luta, mas ficaria pelo caminho com uma derrota em três sets: 1-6, 6-3 e 3-6.