Um fotógrafo também pode construir edifícios. Mr. Lee mostra-o em Landing

Mr. Lee é “fotógrafo de construção” e vive em Seul, na Coreia do Sul. Ao longo de Landing, vai percorrendo o escritório empresarial Amorepacific Headquarters. Ao mesmo tempo, uma voz narra a evolução do edifício desde a sua criação e apresenta os vários espaços e serviços da nova construção, inaugurada a 15 de Julho de 2018. O documentário, baseado em conversas com arquitectos e engenheiros envolvidos no projecto do gabinete de David Chipperfield, foi agora premiado na categoria Experimental do Arquiteturas Film Festival.

Ao ver o filme percebe-se que o edifício, por onde o fotógrafo deambula, tem diversas funções, albergando escritórios, mas também espaços de convívio. Durante quatro anos, Daekwang Lee retratou-o. Implementou “câmaras stop motion nas áreas de maior trabalho de construção”, “documentou pequenas actividades de construção” e usou um drone “uma vez por mês para ver a progresso”. Por lá passou tantas horas que o edifício, que à sua maneira ajudou a construir, faz hoje parte da sua vida — o filme apanha-o antes de dar o seu trabalho por concluído, com uma última fotografia de todo o projecto.

O documentário de 21 minutos, da autoria da realizadora iraniana Shirin Sabahi e narrado pelo arquitecto inglês David Chipperfield, é também uma forma de entrar nos bastidores da construção de um projecto de arquitectura sustentável. E convenceu o painel de jurados do Arquiteturas Film Festival, festival que decorreu em Junho em Lisboa, que se deixou surpreender "pela abordagem reflexiva sobre os aspectos inerentes à construção de um edifício corporativo icónico". Ainda na categoria Experimental, o júri distinguiu Atlas of the Wounded Buildings, de Thadeusz Tischbein. No que toca aos Novos Talentos o prémio foi para Iris, de Lea Najjar.

Sugerir correcção