Susana Neves/ TNSJ
Foto
Susana Neves/ TNSJ

Coisas que não há que há leva poesia de Manuel António Pina a Vila Real

Quatro músicos e um coro de 30 crianças e jovens levam a cena, este sábado, 29 de Junho, no Teatro de Vila Real, textos de Manuel António Pina.

O Teatro de Vila Real vai ser palco, este sábado, dia de Junho, pelas 18 horas, de Coisas que não há que há, uma peça “de dramaturgia original” inspirada em textos do escritor Manuel António Pina.

Com direcção artística de Catarina Lacerda e direcção musical de Raquel Couto, as vozes das 30 crianças e jovens que compõem o Coro Lira vão cantar dez poemas do escritor, “musicados” por dez compositores contemporâneos que o Teatro do Frio e o Coro Lira convidaram. O coro infanto-juvenil vai ser acompanhado por quatro músicos para levar a cena o “singular universo linguístico do poeta”.

Em comunicado, o Teatro do Frio descreve que serão levadas a palco “palavras e composições originais, onde a poesia de Pina será falada, tocada e interpretada”.

Coisas que não há que há, nome que partilha com um poema de Manuel António Pina, é o resultado de “uma investigação que cruza poesia e escrita cénica”. As “partituras musicais, textuais e físicas” que a peça intercepta vão ser publicadas pelo Teatro do Frio no final do ano, “em formato escrito e áudio”.

Os bilhetes para a representação no Teatro de Vila Real custam três euros. O espectáculo estreou a 31 de Maio, no Teatro Carlos Alberto, no Porto.