Taxa de desemprego sobe para 6,6% em Abril

Desemprego voltou para valor de Janeiro. População empregada aumentou mas a variação foi residual. Para Maio, a projecção aponta para estabilização do desemprego nos 6,6%.

Foto
A taxa do primeiro trimestre, já conhecida, é de 6,8% Andreia Carvalho

Depois de estar em 6,5% em Fevereiro e Março, a taxa de desemprego subiu ligeiramente em Abril, voltando ao valor de Janeiro, de 6,6%, mostram dados divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Em Abril, o peso da população desempregada sobre o total da população activa ficou igual ao de três meses antes e compara com uma taxa de 7,1% em Abril de 2018. A primeira projecção para Maio aponta para uma estabilização do nível do desemprego, com a taxa a manter-se nos 6,6%.

O INE estima o número de pessoas desempregadas dos 15 aos 74 anos em 341 mil em Abril (186 mil são mulheres e 155 mil são homens). Um ano antes, havia 368 mil pessoas fora do mercado de trabalho.

A taxa que o instituto estatístico agora fixou para Abril é inferior à primeira estimativa divulgada há um mês. O INE reviu em baixa (em 0,1 pontos percentuais) o valor em relação ao número conhecido há um mês, quando este era ainda provisório. A alteração “foi acompanhada por uma revisão também em baixa (-1,6%; -5,5 mil) da população desempregada e por uma revisão em alta (+0,3%; +14,9 mil) da população empregada”.

A taxa de desemprego jovem (estimada para o universo dos 15 a 24 anos) estava nos 17,1% em Abril, subindo também 0,1 pontos face ao mês anterior. Para Maio, a projecção do INE aponta para uma subida para 18,7%. Entre os adultos (faixa etária dos 25 aos 74 anos), a taxa estava em 5,8% em Abril, depois de ter vindo a baixar de 5,7% em Fevereiro para 5,6% em Março; para Maio, o primeiro valor avançado pelo INE aponta para uma descida, até aos 5,7%.

O número de cidadãos com trabalho era de 4,837 milhões em Abril, mais 1,6 mil pessoas do que em Março, o que “corresponde uma variação relativa quase nula, em relação ao mês anterior”, refere o INE. “A população activa – estimada em 5.177,6 mil pessoas – aumentou 0,1% (7,3 mil) em relação a Março de 2019 e diminuiu 0,2% (11,0 mil) relativamente a três meses antes (Janeiro de 2019)”.

Estes são os dados ajustados de sazonalidade e apanham o impacto do período da Páscoa no mercado de trabalho (em 2018, a data assinalou-se a 1 de Abril; e este ano aconteceu mais tarde, a 21). Os dados não ajustados de sazonalidade mostram uma trajectória descendente do desemprego, com uma taxa de 6,8% em Fevereiro a passar para 6,7% em Março, para 6,6% em Abril e para 6,3% em Maio.

No primeiro trimestre, a taxa de desemprego estava em 6,8%, registando a primeira subida em três anos. O INE divulga dados mensais e trimestrais sobre o mercado de trabalho. Os dados hoje conhecidos dizem respeito à evolução mensal e não podem ser lidos directamente com os valores trimestrais. As estimativas mensais referem-se a trimestres móveis, em que há um mês de referência (neste caso Abril) e os meses imediatamente antes e depois, sendo que as estimativas do último mês são sempre provisórias e feitas ainda com informação incompleta.

“As variações mensais são calculadas sobre valores que contêm meses comuns, pelo que, caso se pretenda realizar a comparação de trimestres móveis sem meses comuns, aquela deve ser feita em relação ao mês de referência três meses antes”, explica o INE.