Vasco Lima Mayer e Sara Oom de Sousa criaram a cadeira “mais leve do mundo”

Dois designers apresentam em Lisboa, no próximo dia 27, uma cadeira com pouco mais de um quilograma de peso.

Fotogaleria
Os criadores da cadeira com Manuel Santos, que lhes deu a conhecer a madeira japonesa DR
Fotogaleria
A cadeira "Manuel" em kiri custa 1500 euros, edição limitada
Fotogaleria
A peça de mobiliário foi apresentada em Milão
Fotogaleria
A cadeira "Manuel" em carvalho é um pouco mais pesada
Fotogaleria
As cadeiras "José" e o aparador "Carlota"
Fotogaleria
O aparador "Carlota" inspirado no design do início do século XX
Fotogaleria
A cadeira "Pedro" em carvalho

Os arquitectos Vasco Lima Mayer e Sara Oom de Sousa, da marca de mobiliário Fuschini, criaram “a cadeira de madeira mais leve do mundo”, com apenas 1,2 quilogramas de peso. Os dois arquitectos mostram-na, pela primeira vez, no próximo dia 27, em Lisboa, depois de já a terem apresentado na feira de design em Milão.

“Tenho a certeza que a Manuel é cadeira de madeira mais leve do mundo, havendo já uma com 1,3 quilogramas”, assegura o arquitecto que, em 2018, desafiou a colega do curso de arquitectura a lançarem a marca de mobiliário Fuschini, em Sintra. Por essa altura, os dois designers, de 28 anos, trabalhavam em diferentes ateliers de arquitectura. Juntaram-se neste novo desafio e começaram a desenhar a colecção que apresentaram oficialmente durante a Milan Design Week, a convite de um amigo.

“Foi a nossa rampa de lançamento”, diz Vasco Lima Mayer. Agora é a vez de Portugal, durante um evento que os dois amigos organizam dia 27, no restaurante à Margem, em Belém. E onde a estrela da noite será a cadeira Manuel que é feita de madeira de kiri que “vem do Japão, sendo muito fina, 30% mais leve do que qualquer outro tipo de madeira, mas resistente”, descreve Vasco Lima Mayer.

Apenas será feita uma edição limitada de 30 unidades, a 1500 euros cada, porque, sublinha, “vai ser vendida enquanto peça de arte”. A marca vai ainda vender na loja online, uma versão da cadeira em maior número, mas feita de carvalho, mais pesada e ainda mais resistente, que terá um custo de 300 euros cada. 

Esta peça tem nome de pessoa, Manuel, tal como todas as outras em homenagem a conhecidos e não só. Esta, por exemplo, homenageia o dono da fábrica MSantos, em Lordelo, que lhes deu a conhecer a madeira leve da cadeira e onde os dois designers manufacturam todo o mobiliário Fuschini. Há ainda a cadeira José, outra mais alta chamada Pedro, a mesa Ana que tem azulejos tradicionais na base e o aparador Carlota com duas gavetas na totalidade da sua largura. Por enquanto, a Fuschini apenas vende online, não tendo loja física.

“Queremos criar peças de mobiliário de qualidade a preços acessíveis, desenhadas e feitas em Portugal”, anuncai Vasco Lima Mayer, descrevendo que o design é intemporal, minimalista com linhas depuradas, e inspirado no período moderno do século XX. “Gostamos de acreditar que contribuímos para o bom design do mobiliário português”, acrescenta Sara Oom de Sousa, apoiada pelo colega: “Gostaríamos de ser uma marca de referência em Portugal”.

Porquê Fuschini? “É o apelido do meu bisavô italiano que tinha muita sensibilidade artística”, responde Vasco Lima Mayer que sempre foi um apaixonado pelo design de mobiliário, e cresceu a ver o pai e o irmão, arquitectos, a fazerem esquissos e maquetas.