Falha generalizada deixa Argentina e Uruguai sem energia

Uma “falha massiva” no sistema eléctrico afectou Argentina e Uruguai. Problema poderá demorar seis a oito horas a resolver.

Argentina e Uruguai acordaram
Foto
No sul da América acordou-se às escuras Carlos Garcia Rawlins/REUTERS

O sul do continente americano acordou hoje sem energia eléctrica por causa de uma “falha massiva no sistema de interligação eléctrica”. Os países mais afectados são Uruguai e Argentina, onde a falha é quase total. Em território argentino só a Terra do Fogo escapa porque não está ligada ao sistema de distribuição eléctrico do resto do país.

A empresa de distribuição eléctrica argentina Edesur deixou a mensagem no Twitter a reconhecer o problema: “Uma falha massiva no sistema de interconexão eléctrica deixou sem energia toda a Argentina e o Uruguai”.

Enquanto outra empresa, a Edenor, referia, também no Twitter, que “devido a uma falha general no sistema de interconexão, a Argentina e os países limítrofes encontram-se sem electricidade”.

Num primeiro momento, chegou a dizer-se que o problema estava a ser sentido também no sul do Brasil, partes do Chile e do Paraguai, mas aparentemente tal não aconteceu. O Operador Nacional do Sistema Elétrico brasileiro garantiu que o apagão não se sentiu no Brasil.

A Argentina e o Uruguai partilham o mesmo sistema de interligação eléctrica centrado na barragem binacional de Salto Grande, localizada a uns 450 km a norte de Buenos Aires e a 500 km a norte de Montevideu.

O apagão começou pouco depois das sete da manhã argentinas (12h em Portugal continental) e ainda se mantém, sem prazo previsto para se restabelecer o normal fornecimento de energia.

A secretaria de Energia argentina emitiu um comunicado referindo que a falha se deve a um “colapso do Sistema Argentino de Interconexão” e que a resolução do problema pode demorar “algumas horas”.

“Às 7h07 aconteceu um colapso do Sistema Argentino de Interconexão (SADI) que produziu um corte massivo de energia eléctrica em todo o país e que afectou também o Uruguai”, refere a secretaria num comunicado oficial.

O subsecretário da Protecção Civil argentino, Daniel Russo, deu mais pormenores ao diário Clarín: “Disseram-nos que em aproximadamente seis a oito horas vão restabelecer o serviço”. Neste momento, em algumas zonas do sul da Argentina já se está a normalização a distribuição de energia, no entanto, “mas vai demorar várias horas porque há uma questão relacionada com manipulação nos cabos de alta tensão”, acrescentou.

A porta-voz da Edesur, Alejandra Martínez, que qualificou o apagão como “um facto inédito”, explicou, ao mesmo jornal, que o processo irá demorar várias horas porque os técnicos “sabem, claramente, as causas”, no entanto, “pôr em funcionamento a geração e transmissão [de electricidade] para que chegue a casa de cada um levará várias horas”.

Perturbação nas eleições

O apagão generalizado na Argentina está a afectar o processo eleitoral nas províncias que hoje votam para escolher um novo governador. Com excepção da Terra do Fogo, onde o sufrágio corre normalmente, como escreveu no Twitter o jornalista do Pagina 12, Pablo Riffo, que Santa Fé, San Luis e Formosa estão a sentir as dificuldades da falta de energia.

“A partir das 7h15 que se está a aplicar o protocolo de emergência e há algumas localidades que têm fornecimento, como Rufino, Venado Tuerto, Seres, uma parte de Rafaela. Mas no resto das localidades não há luz”, referiu Marcelo Cassín, director da empresa província de energia de Santa Fé.

O