Quatro funcionários dos CTT envolvidos em burla de milhões com sapatilhas

Ministério Público constitui 82 arguidos, na sua maioria cidadãos marroquinos, que criaram um esquema de burla na Internet. Vendiam ténis falsos como se fossem de marca. Consumidores às vezes recebiam caixas vazias, chinelos velhos ou ténis contrafeitos. Processo tem mais de mil testemunhos.

Foto
Encomendas eram enviadas através de apartados e à cobrança DR

O Ministério Público (MP) acusou, no final de Maio, 82 pessoas, a maior parte cidadãos marroquinos, mas também portugueses, pela prática de crimes de associação criminosa, burla qualificada, branqueamento de capitais, falsificação de documentos, venda, circulação ou ocultação de produtos e artigos e corrupção activa e passiva.