Filtros de partículas continuam a ser removidos ilegalmente dos automóveis

Três anos depois das primeiras denúncias, a remoção de filtros de partículas dos veículos a gasóleo continua a ser impunemente publicitada na Internet por várias oficinas. Centros de inspecção automóvel dizem-se sem capacidade para fiscalizar esta prática e pedem à tutela mais meios. Zero quer fiscalização alargada a oficinas.

Carro
Foto
Nuno Ferreira Santos

Há muitos donos de automóveis a gasóleo que preferem pagar 400 euros a uma oficina automóvel para retirar o filtro de partículas que vai reter quase 80% das emissões produzidas pelo escape a pagar os mil euros que custa a aplicação de um novo filtro. A oferta destes serviços é feita sobretudo aos automobilistas que fazem uma utilização tipicamente urbana da viatura — sempre em pára-arranca, com distâncias curtas, sem levarem o motor às rotações mais elevadas.