Opinião

O miserável estado da Cultura em Portugal

Passados cinco anos, a Cultura, de facto, recebeu de volta o seu ministério – mas não recebeu mais do que isso.

A direita em Portugal tem a fama – e o proveito – de não dedicar a devida atenção à Cultura, e de estar convencida de que os dinheiros públicos da área só são bem gastos se forem usados para a preservação do património. Esta visão míope do que deve ser uma política cultural tem como consequência uma postura filisteia que é desprezada por praticamente todo o sector, e com bons argumentos. É por isso que António Costa, ao contrário de Rui Rio, consegue encher o Mercado da Ribeira com centenas de artistas felizes e ululantes, como aconteceu em Julho de 2014, quando prometeu que a Cultura iria ter de volta o seu ministério, desaparecido nos tempos de Passos Coelho.