Crítica

A ópera que não o queria ser

iconcomeça como uma proposta estimulante de questionamento das imagens mas torna-se um exercício empobrecido que acaba por engolir a música de Frederik Neyrinck no aparato tecnológico.

Um dispositivo tecnológico permite criar imagens de imagens e projectá-las em tempo real
Foto
Um dispositivo tecnológico permite criar imagens de imagens e projectá-las em tempo real Atelier Bildraum

icon, assim mesmo com minúscula, apresenta-se como “uma ópera do século XXI”. Título ambicioso, se é “sinal do século” que pretende ser. Título modesto, se é apenas “mais uma ópera deste tempo que há quem meça em séculos” que se propõe.