László Nemes

O século XX escondido e desenfreado

Depois do Holocausto em O Filho de Saul, o início do século XX como promessa em Anoitecer. E já tudo à beira do abismo. O novo filme do húngaro László Nemes é um perturbante e complexo contacto com as zonas de mistério da experiência cinematográfica.

Vamos começar pelo olhar de Írisz: nele se reencontra o olhar de Saul. Írisz está em Budapeste nas primeiras décadas do século XX, em 1913. Descende de uma família de chapeleiros, os Leiter, que desapareceu, acontecimento turvo na memória de Írisz. Ela regressou à cidade para se abeirar desse legado sofisticado — menos para reclamar o direito a uma empresa que foi da família do que para saber de onde vem, do que para saber quem é.