Anulações de subsídio de desemprego disparam 67,4% em 2018

No ano passado, os centros de emprego cortaram o subsídio a 3932 desempregados, mas acabaram por reverter a decisão em 202 casos. Aumento das anulações deve-se ao novo modelo de acompanhamento dos desempregados, revela relatório.

Foto
IEFP criou gabinete que recebe reclamações de desempregados em 2007 Rita França

Depois de três anos a recuar, a anulação de subsídios a desempregados que não cumpriram as obrigações previstas na lei aumentou 67,4% entre 2017 e 2018. Esta subida acontece numa altura em que o desemprego registado pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) atingiu o nível mais baixo dos últimos anos e em que o número de desempregados a receber subsídios recuou 14,5%.