Colapso de edifício na Nigéria matou 20 pessoas

É o novo balanço mortal da derrocada de um edifício de três andares onde funcionava uma escola primária, em Lagos. As buscas terminaram na quinta-feira.

Foto
Reuters/AFOLABI SOTUNDE

Um novo balanço indica que 20 pessoas morreram na sequência do colapso do edifício de três andares onde funcionava uma escola primária, na cidade de Lagos, na Nigéria. Segundo a agência Reuters, 45 pessoas foram retiradas dos escombros e sobreviveram.

O comissário de Saúde do governo do estado de Lagos, Jide Idris, não detalhou quantas crianças estavam entre os mortos, mas avançou que dez crianças e quatro adultos ainda estão a receber ajuda médica.

Jide Idris esteve esta sexta-feira em conferência de imprensa depois de as equipas de resgate terem dado as buscas como terminadas na quinta-feira.

Na quarta-feira, o edifício de três andares ruiu por volta das 10h (9h em Portugal), segundo o porta-voz da Agência de Emergência Nacional da Nigéria, Ibrahim Farinloye. As actividades do infantário e da escola primária decorriam no terceiro piso do edifício.

Ainda que não se saiba o que esteve na origem do incidente, a agência reguladora da segurança na construção civil de Lagos disse à BBC que o edifício estava identificado e que estava na lista para ser demolido. Um morador que assistiu ao incidente contou que o edifício tinha fissuras e que já tinham sido feitas reclamações.

As quedas de edifícios não são raras na Nigéria: segundo a BBC, os materiais de construção falham em qualidade e as inspecções são feitas de forma descuidada.

Em 2016, mais de cem pessoas morreram depois de o telhado de uma igreja ter caído em Uyo, no Sul da Nigéria. A igreja ainda estava em construção, mas as obras tinham sido aceleradas para que o espaço pudesse acolher a ordenação de um bispo. Nesse ano, em Lagos, 30 pessoas morreram na sequência do desabamento de um edifício de cinco andares, ainda em construção.