"As canções que salvaram as vossas vidas” na primeira residência de Morrissey na Broadway

O cantor passará uma semana e meia num teatro de Nova Iorque para interpretar “as canções que vos fizeram chorar" e tantas outras da sua carreira.

Foto
Morrissey em palco no Festival Paredes de Coura em 2007 PAULO PIMENTA

Pela primeira vez na sua carreira, Morrissey vai fazer uma residência na Broadway, em Nova Iorque. Serão sete espectáculos, entre 2 e 11 de Maio deste ano, um programa que antecederá o lançamento do seu novo álbum, California Son. Os espectáculos abarcarão toda a sua carreira ou, nas palavras do Lunt-Fontanne Theatre, que vai receber o vocalista dos Smiths, “as canções que vos fizeram chorar e as canções que salvaram as vossas vidas”.

O anúncio da série de concertos na Broadway foi feito esta segunda-feira através de um comunicado, citado pela imprensa anglo-saxónica, que detalha que os espectáculos serão “uma exploração íntima mas entusiasmante da extensa carreira de Morrissey, dos seus anos iniciais ao seu novo álbum”.

A mesma nota anuncia que esta residência será “um novo marco numa carreira já histórica” que dará aos “fãs de longa data” do cantor “uma oportunidade rara de ver a estrela expandir-se para um novo território e subir ao palco como nunca antes”.

Steven Patrick Morrissey, voz dos Smiths nos cinco anos da sua existência oficial (1982-87), que se mantém uma persistente influência e presença na cultura musical desde então, é uma estrela em nome próprio que segue assim na peugada de Bruce Springsteen – embora numa versão mais condensada, visto que a residência na Broadway do músico norte-americano (que resultou num especial para o Netflix) se estendeu ao longo de quase um ano, em 2018 (num total de 236 concertos que incluíram spoken word).

O cantautor britânico lançará a 24 de Maio California Son, o seu novo trabalho de covers de temas de autores como Bob Dylan, Roy Orbison, Joni Mitchell, Carly Simon ou Dionne Warwick. O seu 12.º álbum de estúdio contará ainda com a colaboração de outros músicos, como Ed Droste, dos Grizzly Bear, Billy Joe Armstrong, dos Green Day, ou Ariel Engle, dos Broken Social Scene – que interpreta Don’t interrupt the sorrow, de Joni Mitchell, com Morrissey.

Nos últimos anos, o cantor tornou-se quase tão conhecido enquanto músico quanto como defensor de posições políticas mais conservadoras e autor de declarações polémicas, o que fez com que Ariel Engle confessasse ao Guardian recentemente que não conhecia as opiniões de Morrissey quando aceitou colaborar com ele e que a experiência acabou por lhe deixar “um gosto amargo”, admitindo que é culpa sua não se ter informado.

Estas não serão as únicas datas do músico britânico em palco este ano, estando agendadas actuações no Canadá logo em Abril.