DR
Foto
DR

A guerra colonial contada às crianças espanholas por Catarina Gomes e Catarina Sobral

Catarina Gomes, escritora e ex-jornalista do PÚBLICO, adaptou os seus livros sobre a guerra colonial para a revista infantil !La Leche!. As ilustrações estão a cargo de Catarina Sobral.

A escritora e jornalista Catarina Gomes acaba de publicar em Espanha uma adaptação para crianças dos seus dois livros sobre a guerra colonial, numa edição ilustrada por Catarina Sobral, que fala desse tema tão universal que é o "pai". A publicação é feita na !La Leche!, uma revista infantil ilustrada de jornalismo para crianças, trimestral, que trata assuntos de actualidade como ciência, música, livros, cinema e arte.

Tudo começou por contacto directo de um "desconhecido" que lhe escreveu, elogiando os seus livros, que acabaram por ser adaptados ao público infantil numa revista cultural para crianças, que pretende dar a conhecer aos mais jovens, em linguagem acessível, temas variados de importância internacional, conta a própria na sua página do Facebook.

"O que tenho eu a dizer a meninos espanhóis?", começa por questionar Catarina Gomes, que de seguida relata como um desconhecido lhe escreveu em espanhol para lhe dizer que acabara de ler Furriel Não é Nome de Pai e que ficara "francamente comovido", preparando-se então para ler Pai, Tiveste Medo?Daí para a publicação de uma versão infantil espanhola foi um passo.

"Gustavo Puerta Leisse, editor da primorosa revista espanhola de jornalismo cultural para crianças chamada !La Leche! — expressão que, explicou-me, quer dizer algo como 'bué da fixe' — achou que, partindo dos meus dois livros, eu poderia ter algo para contar aos seus leitores, meninos dos 8 aos 12 anos, espanhóis", conta.

PÚBLICO -
Foto

No início, Catarina Gomes confessa ter achado estranho, pois não via como podia interessar a este público e não via como conseguiria transformar um assunto tão adulto, a guerra, em artigo para crianças. "E depois pensei que podia falar-lhes do meu pai, um tema tão universal", acrescenta. A adaptação dos dois livros a uma versão infantil é ilustrada por Catarina Sobral, que desenhou o pai de Catarina "com o belo bigode que ele deixou crescer depois de ter estado nesse sítio estranho", relata a autora.

Na opinião de Catarina Gomes, a !La Leche! é um "voto de confiança" no gosto de crianças que se preparam para entrar na adolescência. "Fala-lhes, em suporte papel, em linguagem bela e acessível, com ilustrações maravilhosas, de assuntos tão diversos que vão desde o processo de paz na Colômbia, à relação entre arquitectura e política na Coreia do Norte, a assuntos tão remotos como a Guerra Colonial portuguesa. Parte do pressuposto que são curiosos e que têm bom gosto", considera.

Em 2014, Catarina Gomes publicou, pela Matéria Prima, o livro Pai, Tiveste Medo?, no qual relata 12 histórias de vida, depoimentos de filhos que descobriram a história da guerra colonial e as suas consequências através das memórias dos pais. A própria autora confessa que ao seu pai fez apenas a "clássica" pergunta: "Mataste alguém?". Mas ao escrever este livro deu por si a querer fazer-lhe muitas mais, como a que dá nome ao livro: "Tiveste medo?".

Quatro anos depois, regressou ao mesmo tema, com um livro que conta pela primeira vez a história dos filhos da guerra, das crianças que ficaram para trás (em Angola, Moçambique e na Guiné-Bissau) após o fim do conflito e que há anos buscam uma identidade perdida. Intitulado Furriel Não é Nome de Pai, este livro, editado pela Tinta-da-China, tem por base duas reportagens sobre o tema que a autora fez para o jornal PÚBLICO — onde então trabalhava — e viagens que fez a África e que lhe permitiram conhecer vários episódios sobre os filhos que os militares portugueses deixaram na Guerra Colonial (19761/74), e cujo número é totalmente desconhecido.