Quinze minutos de exercício podem ajudar no combate à depressão

Estudos anteriores já haviam relacionado a prática de exercício físico ao bem-estar psicológico, mas o estudo publicado pela JAMA Psychiatry veio comprovar que a actividade física pode ajudar a prevenir a depressão.

Foto
ADRIANO MIRANDA/arquivo

A actividade física pode ajudar a prevenir a depressão e bastam 15 minutos diários para ajudar à saúde mental, revela um estudo publicado pela revista académica JAMA Psychiatry. E não é preciso ser exercício intensivo, pode ser jogging, caminhada ou até jardinagem (neste caso durante um período de tempo mais longo).

Estudos anteriores já haviam relacionado a prática de exercício físico ao bem-estar psicológico, revelando que as pessoas fisicamente activas tendem a ser mais felizes e menos propensas à ansiedade e à depressão grave. Contudo, esses estudos não respondiam a uma questão fundamental: a actividade física reduz o risco de depressão ou a depressão leva à redução da actividade física?

Segundo esta nova investigação, levada a cabo por uma equipa liderada por investigadores do Massachusetts General Hospital (MGH) – que utilizou variantes genéticas para estudar os efeitos de um factor não genético – a conclusão é que a actividade física pode ser uma estratégia bastante eficaz no combate à depressão. 

Neste estudo participaram centenas de milhares de pessoas e foi usado um tipo de análise estatística. Os investigadores pediam às pessoas que fizessem exercício e monitorizavam os resultados para demonstrar se havia causalidade.

Através da estatística descobriram que a quantidade ideal de exercício para prevenir a depressão será de cerca de 15 minutos por dia de corrida ou outro exercício extenuante. Actividades menos exigentes, como andar depressa ou o trabalho doméstico, também ajudam a proteger contra a depressão mas é preciso cerca de uma hora por dia para que tenham efeito.