Papa admite que há freiras vítimas de abusos sexuais às mãos de padres e bispos

Francisco mostrou-se empenhado em combater abusos na Igreja Católica em declarações após a visita histórica aos Emirados Árabes Unidos.

O Papa Francisco durante a sua visita aos Emirados Árabes Unidos
Foto
O Papa Francisco durante a sua visita aos Emirados Árabes Unidos LUSA/ALI HAIDER

O Papa Francisco admitiu, nesta terça-feira, que muitas freiras católicas têm sido vítimas de abusos sexuais às mãos de padres e bispos.

“É verdade… tem havido padres e até bispos que o fazem. Eu acho que ainda continua a acontecer porque algo não pára simplesmente porque nos tornámos conscientes disso”, disse a mais alta figura da Igreja Católica, citada pela agência Reuters, enquanto respondia a perguntas dos jornalistas na viagem de regresso de Abu Dhabi, depois de uma visita histórica aos Emirados Árabes Unidos​.

Francisco chegou mesmo a confirmar um caso em que as freiras foram mantidas como escravas sexuais, o que levou ao encerramento de uma congregação pelo seu antecessor, o Papa Bento XVI, em 2005.

“O Papa Bento XVI teve a coragem de dissolver uma ordem religiosa feminina que se encontrava já num certo nível, porque a escravidão de mulheres se tinha tornado parte... Escravidão até mesmo ao ponto de escravidão sexual, por parte de clérigos e do seu fundador”, disse Francisco citado pela estação BBC.

O actual líder do Vaticano explicou ainda que a Igreja Católica está consciente do problema e que se encontra a reunir esforços para o resolver. “É algo em que estamos a trabalhar há bastante tempo”, disse o Papa, acrescentando que tais abusos se verificam sobretudo “em certas congregações, especialmente aquelas mais recentes e em determinadas regiões, mais do que noutras”.

A organização mundial de freiras católicas tinha já condenado, em Novembro passado, uma “cultura de silêncio e segredo” em torno do abuso sexual na Igreja Católica. Na mais recente edição da revista feminina do jornal da Santa Sé, L'Osservatore Romano, chegam a existir até mesmo denúncias de que algumas freiras foram forçadas a abortar depois de terem tido relações sexuais com padres. 

No seguimento das várias denúncias e condenações por abuso sexual no seio da Igreja Católica, o Papa Francisco convocou ainda bispos de todo o mundo para uma reunião no Vaticano, no final de Fevereiro, para pensar formas de proteger as crianças vítimas de abusos sexuais por altos membros da Santa Sé.