Lisboa

Trotinetes abandonadas no caminho? Este Instagram apanha-as todas

Fotogaleria

Já estiveste tão desesperado para encontrar estacionamento que tiveste vontade de deixar o carro em qualquer lado e ir à tua vida?  Na berma da estrada, em cima de um passeio ou, se fosse possível, dentro de um caixote do lixo — até que respiras fundo e percebes que não podes fazê-lo. Mas o cenário não tem sido o mesmo com as trotinetes — e a conta de Instagram @deadscooter é a prova disso: no meio de arbustos, deitadas ao rio, penduradas em árvores ou “esquecidas” em estações de metro, há fotografias que denunciam a falta de responsabilidade de quem as usa.

“Comecei a tirar fotografias e a mandar aos meus amigos, que achavam piada e também me mandavam”, conta o criador da @deadscooter. Mas há cerca de duas semanas, o designer de 29 anos decidiu compilar as imagens “que até tinham um aspecto algo artístico” numa conta de Instagram e convidou os seguidores a contribuir para as publicações. Depois de ter sido notícia, tem recebido entre 20 a 30 fotografias de trotinetes abandonadas por dia, refere. Que nem sempre têm piada: “Enviaram-me uma fotografia de uma trotinete atirada mesmo para a frente da porta de casa de uma pessoa, quase nem dava para sair”.

Desde o final de 2018, as trotinetes começaram a aparecer pelas ruas de Lisboa. Através de aplicações, podem ser utilizadas num sistema de partilha: basta pegar numa trotinete, utilizá-la e voltar a deixá-la — o que não quer dizer abandoná-la. Para promover o uso responsável das trotinetes, a Lime, uma empresa norte-americana de aluguer de transportes a operar em Lisboa, já criou um site em português — Respect the Ride —, onde desafia os utilizadores a assinar um compromisso em como utilizam a trotinete de forma responsável. Como recompensa, recebem gratuitamente 20 minutos de viagem e um capacete.

Falta, para o jovem lisboeta, “responsabilidade cívica” e “controlo por parte das empresas”. Apesar de não ser permitido estacionar trotinetes em passeios, rampas de serviço, paragem de transportes públicos ou outros locais destinados à circulação de peões — sob a pena de coima que pode ir de 30 a 150 euros —, “quando as pessoas deitam uma trotinete ao caixote do lixo, parece que ninguém quer saber”. A @deadscooter já conta com mais de mil seguidores, que estão convidados a contribuir com fotografias destes cenários — mas não vale encenar.