Torne-se perito

Aeroportos de Gatwick e Heathrow encomendam equipamento militar anti-drone

A decisão surge como consequência do caos no aeroporto de Gatwick, o mês passado, quando foram avistados drones a sobrevoar o aeroporto levando à suspensão de todas as descolagens e aterragens.

Foto
A presença de drones em Gatwick levou ao cancelamento ou desvio de cerca de mil voos, afectando 140.000 passageiros em três dias Reuters/TOBY MELVILLE

Os aeroportos de Gatwick e Heathrow, em Londres, encomendaram equipamento militar anti-drone no valor de "vários milhões de libras", depois da presença de drones em Gatwick que causaram três dias de suspenção de todas as descolagens e aterragens o mês passado, noticiou o Times esta quinta-feira.  

O ministro dos Transportes, Chris Grayling, reuniu-se com chefes da polícia, aviação e defesa, esta quinta-feira, para discutir a questão, disse o jornal britânico. Os responsáveis dos dois aeroportos não comentaram esta informação.

O avistamento de drones causou o caos em Gatwick, o segundo aeroporto mais movimentado da Grã-Bretanha, no mês passado, interrompendo os planos de viagem de dezenas de milhares de pessoas no período que antecedeu o Natal. 

O incidente revelou uma fragilidade que está a ser analisada pelas forças de segurança e operadores de aeroportos em todo o mundo.

Os militares foram recrutados para implantar equipamentos especializados, permitindo às autoridades assegurar ao aeroporto que era seguro descolar e aterrar.

A tecnologia incluiu o sistema Drone Dome criado por Israel, informou o Times. O ministro da Segurança Ben Wallace disse no mês passado que as forças de segurança da Grã-Bretanha tinham sistemas de detecção que poderiam ser implantados em todo o país para combater a ameaça de drones. No entanto, a comunicação social sugere que o Ministério da Defesa removeu o equipamento anti-drone de Gatwick.

Sugerir correcção