Formalmente acusado de abuso sexual, Kevin Spacey clama inocência na voz de Frank Underwood

O actor será presente a tribunal já em Janeiro por ter atacado um homem de 18 anos em 2016. Entretanto, divulgou um vídeo nas redes sociais, na pele de Frank Underwood, clamando inocência.

Foto
Reuters/SOCIAL MEDIA

O actor Kevin Spacey foi formalmente acusado de abusar sexualmente de um homem de 18 anos num restaurante no estado norte-americano de Massachusetts, revelou um procurador local nesta segunda-feira. O actor será presente a tribunal no próximo dia 7 de Janeiro.

O crime terá acontecido no restaurante e bar Club Car, na ilha de Nantucket, em Julho de 2016. O caso foi denunciado publicamente em 2017 pela mãe da alegada vítima: Heather Unruh, uma antiga apresentadora de televisão.

Numa conferência de imprensa, Heather acusou Spacey de ter comprado bebidas alcoólicas ao filho de 18 anos (sendo que a idade legal para beber no Massachusets é de 21 anos), tendo depois abusado da vítima.

“Kevin Spacey comprou-lhe bebida atrás de bebida e, quando o meu filho estava muito bêbedo, Spacey avançou e abusou sexualmente dele”, disse. O actor terá, alegadamente, enfiado as mãos dentro das calças da vítima e agarrado os seus genitais. “Ele não denunciou o crime naquela altura, mas foi por vergonha e medo”, detalhou Unruh.

Também nesta segunda-feira, e assim que se ficou a conhecer a data da audiência, Spacey publicou um vídeo, onde nega ter cometido qualquer crime, com o título Deixem-me ser franco, um trocadilho com o nome da personagem que encarnou na série da Netflix House of Cards, Frank Underwood. Spacey foi afastado da série depois de terem sido conhecidas várias acusações de assédio contra o actor.

Assumindo o sotaque e os trejeitos de Underwood, e vestido com um avental estampado com motivos natalícios, o actor fala directamente com o espectador, tal como acontecia na série: “Não irei certamente pagar o preço por coisas que não fiz. Não acreditariam no pior sem provas, certo?”

“Claro que há quem acredite em tudo e estão apenas à espera que eu confesse tudo”, disse.

“Eles vão dizer que estou a ser desrespeitoso, por não jogar de acordo com as regras. Como se alguma vez tivesse jogado pelas regras de outra pessoa. Nunca joguei. E vocês adoraram”, continua. “As conclusões podem ser tão traiçoeiras. Sentem a minha falta?”, remata.

Este vídeo foi a primeira aparição pública do actor desde que foi acusado de assédio sexual pela primeira vez, em Outubro de 2017, quando o actor Anthony Rapp, actualmente a trabalhar na série Star Trek: Discovery, acusou Kevin Spacey de assédio e de o tentar seduzir quando tinha apenas 14 anos (há mais de 30 anos). 

Kevin Spacey tentou pedir desculpas pelo sucedido, mas já não conseguiu escapar ao efeito catalisador do caso Harvey Weinstein e ao início do movimento #MeToo. Seguiram-se outras acusações de assédio sexual e investidas sexuais não consentidas. Muitos acusadores afirmam que eram menores de idade à data dos acontecimentos.

Hollywood está cada vez menos tolerante face ao assédio sexual e mostrou-o. Pouco depois de as primeiras acusações terem vindo a público, Kevin Spacey foi retirado do filme Todo o Dinheiro do Mundo a apenas um mês e meio da estreia, e despedido da série da Netflix, House of  Cards.

Billionaire Boys Club foi o seu último filme. O drama, que conta a história de uma investigação a uma série de assassínios de pessoas relevantes que tiveram lugar num clube social com o mesmo nome, na Califórnia dos anos 1980, facturou apenas 126 dólares (cerca de 110 euros), na noite de estreia.