"Um país rico não pode ter trabalhadores pobres": salário mínimo em Espanha sobe para os 900 euros

Conselho de Ministros espanhol vai aprovar a 21 de Dezembro uma subida de 22% no salário mínimo, a maior desde 1977.

Foto
LUSA/ZIPI

Espanha vai aumentar o salário mínimo no próximo ano. Um aumento dos actuais 735,9 euros para os 900 euros faz parte de um acordo que o Executivo socialista espanhol assinou no início de Outubro com o Podemos.

No parlamento espanhol, Pedro Sánchez sublinhou que a subida será de 22%, a maior desde 1977. O primeiro-ministro espanhol justificou a medida dizendo que "um país rico não pode ter trabalhadores pobres”.

O Conselho de Ministros de Espanha vai aprovar esta medida numa reunião, em Barcelona, a 21 de Dezembro.

Madrid avança com esta medida através da aprovação de um decreto-lei. Não espera por isso pela discussão do projecto de lei do orçamento para 2019, previsto para Janeiro próximo, e onde há muitas dúvidas sobre se conseguirá ter a maioria necessária para que a medida entre em vigor. 

O próximo orçamento espanhol está dependente do apoio dos partidos independentistas catalães, que já anunciaram que não vão apoiar Sánchez na aprovação das contas do Estado. Se mantiverem esta decisão, os independentistas retiram aos socialistas a possibilidade de reunir uma maioria absoluta necessária para aprovação do Orçamento.