Estado vai apoiar compra de mais carros eléctricos até ao final do mês

Falta de candidaturas de motociclos permite a transferência de verbas do Fundo Ambiental para financiar a aquisição de mais 170 veículos além dos 1000 já apoiados pelo Estado este ano

Foto
Máximo de 1000 carros apoiados já tinha sido esgotado em Setembro Miguel Manso

O apoio do Estado à compra de 1000 novos automóveis 100% eléctricos já tinha sido esgotado em Setembro mas, agora, outros 170 veículos de quatro rodas vão poder receber também uma comparticipação de 2250 euros cada um (totalizando cerca de 380 mil euros). As verbas em causa serão atribuídas aos proprietários dos automóveis até ao final do ano, de acordo com fonte oficial do Ministério do Ambiente e Transição Energética (MATE).  

Na base deste apoio extraordinário a mais 170 veículos (que representam um acréscimo de 17% ao previsto inicialmente) está a falta de candidaturas para a compra de motociclos e ciclomotores eléctricos, o que permitiu a transferência de verbas.

PÚBLICO -
Aumentar

De acordo com o regulamento de atribuição do incentivo pela introdução no consumo de veículos de baixas emissões que está em vigor, o apoio destina-se a um máximo de 1000 unidades de cada uma das duas categorias em causa. No caso dos automóveis eléctricos, a verba disponibilizada é de 2250 euros por unidade, enquanto nos motociclos e ciclomotores o apoio é de 20% do valor total, até ao máximo de 400 euros. Se até 30 de Novembro uma das categorias não tiver sido apoiada na totalidade prevista, o montante transita, “por ordem, às candidaturas elegíveis da segunda tipologia que estejam em lista de espera” até ao fim do dinheiro disponível (a dotação total está nos 2,6 milhões de euros).

Até ontem, o Fundo Ambiental (de onde vem o dinheiro disponível) tinha recebido 1593 candidaturas para o apoio à compra de novos automóveis eléctricos. Destas, 95 tinham sido excluídas, 20 estavam em lista de espera e outras 478 estavam em análise. À medida que sejam processados, nos próximos dias, estes 478 pedidos serão divididos entre a lista de exclusão e a lista de espera.

Duas rodas com tendência de descida

Questionado pelo PÚBLICO, fonte oficial do MATE não esclareceu qual a principal razão de exclusão de candidaturas. Da mesma forma, não comentou o porquê de haver tão poucas candidaturas de motociclos e ciclomotores. Já a Associação do Comércio Automóvel de Portugal (ACAP) diz que o número reduzido poderá ter a ver com a falta de divulgação e com o facto de ser um processo moroso.

De acordo com os dados da ACAP, em 2017 foram vendidos 503 destes veículos (incluindo aqui triciclos e quadriclos, como os tuk-tuk), mais 10% face a 2016. Este ano, o número ia nas 358 unidades até Outubro, com destaque para os ciclomotores (217) e com a marca italiana Askoll na liderança. A manter-se esta tendência, haverá um recuo nas vendas face a 2017.

Vendas de carros aceleram

Já em termos de automóveis 100% eléctricos, os dados da ACAP mostram que até ao final de Outubro as vendas já tinham quase duplicado as de todo o ano de 2017.

Comparando períodos homólogos, entre Janeiro e Outubro de 2018, foram vendidos 3233 destes automóveis, contra 1239 do ano passado (1640 no ano completo). Um resultado que se traduz num aumento de 161% no número de unidades vendidas, com o Nissan Leaf a “roubar” a liderança ao Renault Zoe.

O modelo do construtor francês era, em Outubro de 2017, o líder da tabela de vendas e fecharia mesmo o ano passado como o eléctrico puro mais vendido no mercado nacional. Algo que só se repetirá em 2018 se a Renault recuperar nos últimos dois meses do ano os 450 carros a menos que registava em termos vendas até ao final de Outubro.

Em termos de marcas, o terceiro lugar no top de vendas pertence, tal como em 2017, ao BMW série i3 (295 unidades vendidas até agora), seguindo-se o Smart Fortwo, com 191 veículos comercializados. O quinto carro mais popular é também aquele que registou o maior crescimento das vendas: o Citroën C-Zero vai em 155 unidades vendidas.

Bicicletas a caminho

A partir do ano que vem, este incentivo vai ser alargado às bicicletas eléctricas, conforme ficou estipulado no âmbito das alterações ao Orçamento do Estado para 2019. De acordo com a iniciativa legislativa dos Verdes, o objectivo é beneficiar "a aquisição de até mil novas bicicletas eléctricas". Os termos do apoio, como o valor individual, ficam em aberto, cabendo ao MATE a sua definição através de um despacho.