Fotografia

Laetitia Modine, a instagrammer que absorve a “serenidade” das paisagens

Fotogaleria

Laetitia Modine é francesa, mora em Bordéus, tem 34 anos e é seguida por 94,4 mil pessoas no Instagram. Mais cinco mil e dava para encher a Altice Arena cinco vezes. No seu perfil, predominam fotos de paisagens urbanas e naturais: “Eu sempre adorei espaços abertos, calmos e com natureza, é o que realmente influencia os meus trabalhos”, explica por email ao P3 a instagrammer que, em vez de minimalista, prefere descrever o seu estilo como “contemplativo”: “Procuro partilhar e expressar as emoções que sinto quando observo a beleza de um movimento, a sua atmosfera e serenidade.”

Criou conta na rede social no Verão de 2013, quando um amigo a convenceu de que era a plataforma ideal para partilhar as suas fotografias. “Fiquei agradavelmente surpreendida quando logo no início comecei a receber feedback positivo e vi os seguidores a crescer rapidamente.” Um ano depois, o Instagram colocava-a numa lista de utilizadores a conhecer. E voilá: o número de seguidores aumentou exponencialmente.

“Eu faço as fotos para partilhá-las, não mostro a minha vida privada”, diz. Por isso, não se se sente incomodada por ter tanta gente a ver-lhe os passos. Aliás, muitos destes seguidores já se tornaram amigos na “vida real”: “Tenho vindo a construir amizades com alguns seguidores e é isso que eu acho mais excitante nesta plataforma.” Laetitia só utiliza mesmo o Instagram. Não usa Twitter, nem Tumblr e deixou o Facebook há uns meses. Reconhece que as redes sociais podem isolar pessoas que as usam “para inventar uma outra vida”. “Tudo depende de como as usas e porque as usas”, afirma. “Devemos ter em mente que as redes não são tudo o que temos.”

A sua experiência é muito positiva. “O Instagram e a sua comunidade permitiram-me ganhar autoconfiança e sair da zona de conforto”, diz a web developerrealçando as potencialidades da rede: “Está cheia de pessoas talentosas e é muito gratificante interagir com elas.” Assume que, se por um lado, a plataforma lhe permite receber opiniões sobre as suas fotografias, por outro também se sente muitas vezes a condicionar o seu trabalho só para ter feedback positivo: “É um verdadeiro desafio que tento combater.”

©Laetitia Modine
©Laetitia Modine
©Laetitia Modine
©Laetitia Modine
©Laetitia Modine
©Laetitia Modine
©Laetitia Modine
©Laetitia Modine
©Laetitia Modine
©Laetitia Modine
©Laetitia Modine
©Laetitia Modine