Xi: Relações entre Portugal e a China estão a “entrar no melhor período da História”

O Presidente chinês iniciou esta tarde a sua primeira visita oficial a Portugal, convidando Marcelo Rebelo de Sousa para visitar a China no próximo ano.

Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Miguel Manso
Fotogaleria
Miguel Manso
Fotogaleria
Miguel Manso
Fotogaleria
Miguel Manso
Fotogaleria
Miguel Manso

As relações entre Portugal e a China estão a “entrar no melhor período da História”, afirmou o Presidente chinês, Xi Jinping, ao lado do homólogo português, Marcelo Rebelo de Sousa, nas primeiras declarações que fez na visita oficial a Portugal. Marcelo irá visitar a China no próximo ano, depois de ter sido convidado para participar num encontro entre países que integram a nova rota da seda.

Xi elogiou a “cooperação pragmática” entre os dois países, quando se assinalam 40 anos desde o restabelecimento das relações diplomáticas entre Portugal e a China. “Há cada vez mais pontos de convergência” entre Lisboa e Pequim, acrescentou o líder chinês.

Marcelo referiu que os dois países têm “instituições e aliados diferentes”. “Mas isso não nos impede de trabalharmos em conjunto para a valorização do papel direito internacional, da Organização das Nações Unidas, nem de defender o multilateralismo, os direitos humanos, a resolução pacífica dos conflitos nem de apoiarmos o livre comércio e as pontes de entendimento entre Estados e povos, atentos ao ambiente e às alterações climáticas”, acrescentou.

Nos últimos anos, os laços económicos foram reforçados, com a China a investir cerca de nove mil milhões de euros desde a crise financeira. Mas, tanto Xi como Marcelo demonstraram a intenção de aprofundar as relações ao nível político. O Presidente chinês disse que pretende “manter o contacto de alto nível, governamental, entre assembleias e partidos”. Marcelo Rebelo de Sousa manifestou o desejo de um “diálogo político regular e contínuo”.

No encontro entre ambos, Xi convidou Marcelo para uma visita de Estado em Abril do próximo ano, quando se realiza a segunda edição do Fórum da “Belt and Road Initiative”, um conjunto de projectos de investimento em infraestruturas para ligar a China à Europa.

Uma das prioridades da visita do líder chinês é garantir a participação portuguesa na nova rota da seda (oficialmente conhecida como “Belt and Road Initiative”). Para Pequim, a localização geográfica de Portugal atribui-lhe a posição de ligação entre as dimensões terrestre e marítima da rota da seda.

Xi Jinping chega a esta visita como um dos homens mais poderosos do mundo, depois de anos em que consolidou a sua posição à frente da China, a segunda potência. Afastou os seus principais opositores internos através da campanha anti-corrupção que lançou mal chegou ao poder, acumulou mais títulos do que os seus antecessores, e fixou como meta para os próximos anos um papel de maior preponderância nas relações internacionais.