“Se estamos no bolso do PS, por que se irrita tanto António Costa com o BE?”

Pedro Filipe Soares dirigiu-se aos “camaradas e camarados”, mas brincou com a situação. Divertido, improvisou: “A linguagem inclusiva tem destas coisas.”

Foto
Pedro Filipe Soares com catarina Martins na XI Convenção Nacional do BE LUSA/JOSÉ SENA GOULÃO

Depois de tropeçar na linguagem inclusiva e de ter chamado “camaradas e camarados” a quem o ouvia na XI Convenção do Bloco de Esquerda, o líder parlamentar do BE, Pedro Filipe Soares, terminou o discurso sob um forte aplauso: “Agora, a esquerda, agora um governo de esquerda! Agora o sonho do Bloco de Esquerda de governar o nosso país!?”.

Antes, atacou a direita, mas também o PS. Para Pedro Filipe Soares, a actual direita portuguesa “não conta para o futuro do país”, “é uma caricatura”.

Às críticas que algumas correntes minoritárias do BE fazem de que o partido se institucionalizou e “está no bolso do PS”, respondeu: “Se estamos no bolso do PS, por que se irrita tanto António Costa com o BE?” Recusando que seja essa a realidade, acrescentou: “A vossa crítica seria o sonho de António Costa.”

Pedro Filipe Soares alertou ainda para a existência de uma “elite” que tenta “dividir” os partidos e os votos, considerando que uns são “para governação” e outros “para a inconsequência”. “Essa elite não nos pode ver”, afirmou, acrescentando que essa elite olha mesmo para o BE como se fosse “uma anomalia do sistema que tem de ser combatida”.

O bloquista não deixou, no entanto, de se mostrar optimista quanto ao futuro, defendendo que, se o resultado das últimas eleições levou ao BE até à actual solução de Governo, com mais votos o partido conseguirá mais. “O que fará o BE se tiver mais força nas eleições de 2019?”, perguntou, garantindo, por um lado, que o partido não se verga ao poder e defendendo, por outro, “o sonho ao poder”.