Cinco mortos e 18 feridos graves nas estradas portuguesas

Balanço da "Operação Todos os Santos" da GNR aponta ainda para 340 feridos ligeiros na sequência dos 1157 acidentes rodoviários registados entre 31 de Outubro e 4 de Novembro.

Excesso de álcool e de velocidade continuam a marcar o comportamento de muitos condutores
Foto
Excesso de álcool e de velocidade continuam a marcar o comportamento de muitos condutores LUSA/António Cotrim

Cinco pessoas morreram e 18 ficaram gravemente feridas na sequência dos 1157 acidentes rodoviários registados nas estradas portuguesas, entre os dias 31 de Outubro e 4 de Novembro.

O balanço da "Operação Todos os Santos 2018", divulgado esta quarta-feira pela GNR, aponta ainda para 340 feridos ligeiros.

Durante a operação, foram ainda detidos 147 condutores. Destes, 97 por conduzirem com uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,20 gramas/litros. Os restantes 35 não possuíam carta de condução. 

As acções preventivas da GNR com o intuito de reduzir a sinistralidade rodoviária redundaram na fiscalização de um total de 15.066 condutores, tendo sido detectadas cerca de 4500 contra-ordenações.

A maior parte das contra-ordenações estava relacionada com excesso de velocidade (1755) e as restantes repartiam-se entre a falta da inspecção periódica obrigatória, uso indevido de telemóvel, falta ou incorrecta utilização do cinto de segurança, excesso de álcool e anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização. 

Os cinco mortos registados este ano, somam-se às 16 vítimas mortais de acidentes rodoviários registadas durante as três últimas operações "Todos os Santos" da GNR. O maior número de mortos (sete) ocorreu na operação de 2016, que, como a deste ano, se prolongou por cinco dias. 

Este ano, e até ao passado dia 21 de Outubro, tinham morrido 407 pessoas em acidentes rodoviários em Portugal, num número provisório que se manteve sensivelmente igual ao do mesmo período do ano anterior.