Tancos: comissão de inquérito arranca no dia 14

PSD indicou a ex-secretária de Estado da Defesa Berta Cabral para coordenar os trabalhos

Foto
LUSA/PAULO CUNHA

A comissão parlamentar de inquérito a Tancos vai tomar posse na quarta-feira da próxima semana, dia 14, anunciou esta manhã a conferência de líderes. Depois de tomarem posse, os deputados reúnem-se e definem o andamento dos trabalhos bem como o regulamento de funcionamento da comissão.

A comissão, proposta pelo CDS-PP, pretende apurar responsabilidades políticas do Governo desde a data do desaparecimento das armas de Tancos em Junho de 2017 até à recuperação de material em Outubro do mesmo ano. Alguns partidos já definiram os nomes que vão compor a comissão. Pelo PSD, como o PÚBLICO escreveu esta terça-feira, a coordenadora é Berta Cabral, ex-secretária de Estado da Defesa, que estará acompanhada pelos deputados José Matos Rosa, Rui Silva, Carla Barros, Fátima Ramos, Bruno Vitorino e Joana Barata Lopes. O BE indicou o deputado João Vasconcelos e o líder parlamentar Pedro Filipe Soares como suplente. O CDS e o PCP ainda não anunciaram os nomes que vão fazer parte da comissão, que será presidida pelo socialista Filipe Neto Brandão.

A conferência de líderes agendou ainda uma sessão extraordinária para dia 22 de Novembro de boas-vindas ao Presidente de Angola João Lourenço que fará, por essa altura, uma visita de Estado a Portugal. A marcação da sessão não mereceu nenhuma observação por parte dos representantes das bancadas, segundo o porta-voz da conferência de líderes, o deputado Duarte Pacheco.