Afinal quanto pagam as empresas para estar na Web Summit?

Tabela de preços, que inclui stands e patrocínios, começa nos 29 mil euros e chega aos 330 mil. Até o programa de voluntariado pode ser patrocinado.

Foto
Enric Vives-Rubio

Ter um stand de quatro metros quadrados na Web Summit custa 29 mil euros. É o preço mais baixo da tabela da edição deste ano, que começa esta segunda-feira, em Lisboa. A tabela, que inclui stands empresariais de várias dimensões e o patrocínio de diversos espaços e iniciativas, chega aos 330 mil euros.

Um stand com quatro metros por dois metros custa 45 mil euros, enquanto um de quatro metros por quatro metros já pode valer entre 75 mil e 86 mil euros, indica a tabela de preços a que o PÚBLICO teve acesso.

A partir dos 150 mil euros, é possível ter stands com pelo menos seis metros por quatro metros. Os valores mais altos dão stands maiores e extras, como bilhetes (que as empresas podem distribuir por clientes, por exemplo), acesso à zona dos jornalistas e activação de marca online.

Por 115 mil euros, uma empresa ou entidade pode patrocinar o programa de voluntariado, uma forma encontrada por muitos jovens para entrar gratuitamente na cimeira – em troca de trabalho gratuito. Em 2016, por um valor que o banco público não revelou ao PÚBLICO, a Caixa Geral de Depósitos pôs o seu logótipo nas mais de duas mil t-shirts de voluntários, mas este ano não há patrocinador visível na indumentária. A Web Summit não respondeu às perguntas do PÚBLICO.

Por 230 mil euros é possível patrocinar o espaço restrito aos oradores da Web Summit (Speaker Prep) – os espaços lounge da iniciativa Women in Tech e da Mentor Hours custam mais 10 mil euros. Entrar na Media Village, “quartel-general” dos jornalistas de 2.400 órgãos de comunicação de todo o mundo esperados na Web Summit, exige o pagamento de 75 mil euros às empresas.

Um post: 10 mil euros

A mediatizada Night Summit, que junta empreendedores na vida nocturna lisboeta, também está na tabela: custa 85 mil euros patrociná-la. Já eventos reservados aos “fundadores”, como foi, no ano passado, o polémico jantar no Panteão Nacional, tem uma gama de preços mais ampla: entre 70 mil e 225 mil euros.

Neste negócio, e porque falamos de uma conferência tecnológica, há também um preço para ter uma publicação nas páginas da Web Summit nas redes sociais (um bónus associado a outros produtos): 10 mil euros.

A Web Summit decorre até quinta-feira. A organização anunciou que esta será “a maior e a melhor” edição de sempre: espera receber mais de 70 mil participantes.

A organização de Paddy Cosgrave acordou com o Governo e com a Câmara de Lisboa a permanência da Web Summit na capital durante os próximos dez anos. Um investimento de 110 milhões de euros, compensado por um impacto económico superior a 300 milhões, garantiu, em Outubro, o então ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral.