Metro de Lisboa em greve a 6 e 8 de Novembro. Não há serviços mínimos

A 8 de Novembro o Metro de Lisboa volta a parar, tal como acontecerá no segundo dia da Web Summit.

Será a terceira paralisação nos últimos dois meses
Foto
Será a terceira paralisação nos últimos dois meses Ricardo Lopes

Os trabalhadores do Metro de Lisboa estarão em greve parcial a 8 de Novembro. É mais um dia de paralisação na semana da Web Summit, a somar à greve parcial já marcada para dia 6. Não há serviços mínimos.

A dirigente da Fectrans, Anabela Carvalheira, adiantou ao PÚBLICO que a paralisação de quinta-feira, último dia da Web Summit, "decorrerá nos mesmos moldes da que terá lugar no dia 6 de Novembro", segundo dia da conferência de tecnologia — inicia-se às 6h30 e termina às 9h30.

Não foram decretados serviços mínimos para nenhuma das greves, de acordo com a decisão do Conselho Económico e Social de Lisboa. A “curta duração da greve” e a existência de “outros meios de transporte alternativos” não justificam que sejam “fixados de serviços mínimos relativamente à circulação de composições”, lê-se no documento.

Com as duas greves da próxima semana, os funcionários do Metro de Lisboa cumprirão três paralisações em dois meses.

As greves marcadas para Novembro dão seguimento às reinvindicações salariais que estiveram na origem da paralisação de 18 de Outubro.

Questionada sobre se as paralisações previstas para a semana da cimeira tecnológica têm como objectivo causar mais impacto nas deslocações na cidade, Anabela Carvalheira afimou que "este processo nada tem que ver com a realização da Web Summit". "Cabe ao Governo e administração da empresa resolverem os problemas para que não haja mais transtornos", rematou.

Texto editado por Pedro Rios

Actualizado às 22h03 com a informação de que não haverá serviços mínimos