Desemprego aumenta em Agosto pela primeira vez desde 2016

Instituto Nacional de Estatística fez uma ligeira revisão em alta da taxa que ficou em 6,9%. Estimativa de Setembro aponta para uma descida do desemprego que terá ficado em 6,6%.

Foto
paulo pimenta

A taxa de desemprego de Agosto teve um ligeiro aumento mensal e fixou-se em 6,9% da população activa. Os números finais, divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) dão conta de uma subida ténue (de 0,1 pontos percentuais) em relação a Julho, o que acontece pela primeira vez desde Fevereiro de 2016.

O valor agora divulgado representa uma revisão em alta face à estimativa divulgada pelo INE há um mês e, segundo o instituto, “é a primeira vez, desde Fevereiro de 2016, que se observa um aumento mensal da taxa de desemprego”. Mas na comparação com o período homólogo, o desemprego continua a cair e registou-se um recuo de 1,8 pontos percentuais em relação a Agosto de 2017.

A estimativa provisória para Setembro aponta para uma descida da taxa de desemprego. De acordo com o INE, a taxa terá ficado nos 6,6%, um recuo de 0,3 pontos percentuais em relação a Agosto.

PÚBLICO -
Aumentar

Comparando com o mês de Julho, a população desempregada aumentou 2,4% (8,4 mil) em Agosto, para um total de 358,6 mil pessoas sem trabalho. Já em relação ao período homólogo, o INE dá conta de menos 92,3 mil pessoas desempregadas do que em Julho de 2017, o que representa um recuo de 20,5%.

Em Setembro, o cenário deverá ser diferente e as estatísticas apontam para uma redução de 5,1% do número de desempregados face a Agosto, o que se traduzirá em menos 18,2 mil pessoas desempregadas. O INE espera também que a redução face ao ano de 2017 se intensifique e aponta para a existência de menos 100 mil desempregados.

Tanto os dados de Agosto como os de Setembro, estão ajustados dos efeitos sazonais. Mas se a sazonalidade não for tida em conta, as tendências mantêm-se. Assim, a taxa de desemprego de Agosto é de 6,8%, o que representa um aumento face ao mês anterior, e a estimativa para Setembro aponta para uma taxa de 6,6%.

Emprego estagna em Agosto e volta a subir em Setembro

O INE dá conta de uma estagnação do emprego em Agosto. "A população empregada foi estimada em 4806,9 mil pessoas, tendo aumentado 1,3 mil (a que corresponde uma variação relativa quase nula) em relação ao mês anterior”, lê-se no destaque divulgado nesta terça-feira.

Quando se olha para a evolução entre Agosto de 2017 e de 2018, a situação é mais optimista, com a população empregada a registar um aumento de 2%, a que correspondem mais 96,1 mil pessoas a trabalhar.

O instituto prevê que em Setembro o emprego tenha voltado a crescer em relação ao mês anterior (0,2% ou mais 7,4 mil pessoas) e mantenha o ritmo anual de subida (2%, a que correspondem mais 96,3 mil pessoas empregadas do que em Setembro de 2017).

Desde 2014,  o INE divulga todos os meses dados sobre a evolução do mercado de trabalho em Portugal, complementando as estatísticas trimestrais. Há diferenças metodológicas entre os números trimestrais e os mensais, o que leva a que todos os meses o instituto faça uma revisão dos dados mensais.

Sugerir correcção