Sri Lanka é o melhor destino para 2019, diz o Lonely Planet

O guia de viagens escolheu os dez países e as dez cidades a visitar no próximo ano.

Fotogaleria
Sri Lanka Dinuka Liyanawatte/Reuters
Fotogaleria
Sri Lanka Dinuka Liyanawatte/Reuters
Fotogaleria
Quirguízia Vladimir Pirogov/Reuters

Foi em Maio de 2009 que acabou a guerra civil no Sri Lanka. Hoje, perto de uma década depois do final do conflito, o país acaba de ser considerado pelo Lonely Planet como o melhor destino para 2019 na sua edição anual do Best in Travel. As razões? Melhores transportes, novos hotéis e um número crescente de actividades – entre as quais o surf – numa ilha que está por descobrir pelo turismo de massas.

Os “viajantes intrépidos” já apreciavam no Sri Lanka a “mistura de religiões e culturas”, os seus “templos intemporais” e a sua “rica e acessível vida selvagem”, mas quem quiser agora aventurar-se vai descobrir também a simpatia e a capacidade de acolhimento dos seus habitantes, garante Ethan Gelber, autor do Lonely Planet, sugerindo uma ida às plantações de chá de Hill Country, o parque nacional Minneriya e os milenares monumentos budistas.

Os responsáveis pelo turismo do Sri Lanka têm vindo a apostar na melhoria das infraestruturas e da oferta com o objectivo de aumentar o número de visitantes, que tem vindo a subir em flecha desde o final da guerra: em 2009 não chegava a meio milhão e no ano passado ultrapassou já os dois milhões. Uma das regiões no passado consideradas mais perigosas, o Norte, beneficia actualmente de um muito melhor serviço de comboios e o número de voos internos também aumentou consideravelmente.

As grandes cadeias de hotéis já perceberam o potencial do país e estão também a investir – é o caso de cadeias como a Shangri-La, Sheraton ou Grand Hyatt. Mas a oferta de dormida inclui também a possibilidade de ficar em casas privadas ou em eco-resorts. O surf é cada vez mais uma das grandes atracções da ilha, mas é possível conjugá-lo com diferentes actividades, como tratamentos ayurvédicos com ioga ou passeios pela selva.

Mas o Lonely Planet não escolhe apenas o melhor destino, mas sim uma lista de 10, que inclui, no segundo lugar, a Alemanha (que no próximo ano celebra o centenário da Bauhaus) , em terceiro o Zimbabwe, em quarto o Panamá, em quinto a Quirguízia, seguida por dois destinos mais tradicionais, a Jordânia e a Indonésia. Em oitavo lugar surge a Bielorrússia, em nono São Tomé e Príncipe (“não cometa o erro de ignorar” este país, avisa o Loney Planet)  e em décimo o Belize.

A lista das dez melhores cidades para visitar em 2019 é liderada por Copenhaga (Dinamarca), seguida por Shenzhen (China), Novi Sad (Sérvia), Miami (EUA), Katmandu (Nepal), Cidade do México (México), Dacar (Senegal), Seattle (EUA), Zadar (Croácia) e Meknés (Marrocos).