Detido condutor de camião que circulou em contramão na Segunda Circular

Camião entrou em sentido contrário e capotou. Polícia diz que o condutor (que foi entretanto detido) não tinha indícios de álcool e drogas no sangue.

Fotogaleria
LUSA/TIAGO PETINGA
Fotogaleria
LUSA/TIAGO PETINGA
Fotogaleria
LUSA/TIAGO PETINGA
Fotogaleria
LUSA/TIAGO PETINGA

O condutor do camião que entrou esta segunda-feira em contramão na Segunda Circular, em Lisboa, causando vários acidentes e três feridos, foi detido pela PSP e será presente na terça-feira ao Ministério Público, que o deverá levar a um juiz. “Da análise preliminar aos indícios recolhidos não se conclui que o detido tenha praticado estes actos com intenções de natureza extremista ou terrorismo”, referiu o intendente Alexandre Castro da PSP, numa conferência de imprensa dada às 17h.

"Desconhecem-se as motivações", adianta ainda a polícia, dizendo que “o condutor não se lembrava do trajecto que efectuou mas estava coerente”. O responsável da PSP acrescenta ainda que não pode "alargar-se muito sobre os detalhes da ocorrência", pois a investigação sobre o sucedido "está em segredo de justiça".

Fonte policial acrescentou à agência Lusa que o homem, de 42 anos, não acusou álcool nos testes a que foi submetido e vai continuar detido à guarda da PSP. Na terça-feira, será presente ao Ministério Público que, se entender, o levará a um juiz de instrução criminal para primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coacção.

Às 7h22, um camião entrou em contramão Segunda Circular, na zona da Alta de Lisboa, no sentido Norte-Sul (Aeroporto-Benfica), provocando um acidente que envolveu nove veículos e causou três feridos, um dos quais grave. O trânsito na Segunda Circular foi reaberto pelas 11h.

PÚBLICO -
Aumentar

A empresa de resíduos Renascimento, proprietária do camião que entrou esta manhã em contramão na Segunda Circular, em Lisboa, lamentou o sucedido, mas ressalvou que o motorista envolvido tem 12 anos experiência "sem qualquer incidente registado". Em comunicado, a administração da Renascimento disse que "não pode deixar de lamentar o sucedido" e sublinhou que o motorista do pesado "é colaborador há 12 anos e não tem "qualquer incidente registado".

"O mesmo colaborador dispõe de toda a formação requerida para o exercício da sua função, tendo participado, ainda este ano, numa formação "Eco-condução para pesados", referiu ainda a empresa, acrescentando que todos os seus colaboradores "têm os exames médicos em dia e têm o registo criminal limpo". A empresa refere, ainda, que está a colaborar com as autoridades "de forma a compreender a razão" do acidente. "Continuaremos a acompanhar o processo e aguardamos as conclusões preliminares do mesmo", concluem.

Segundo explicou aos jornalistas no local o chefe da PSP, Madaíl dos Santos, o condutor do camião foi posteriormente transportado para a Divisão da PSP para prestar declarações. Madaíl dos Santos contou que o camião, que transportava contentores de obra vazios, percorreu dois a três quilómetros em sentido contrário, provocando acidentes.

O responsável explicou que o condutor do camião acabou por "ser imobilizado por um agente à civil que passava no local". "O agente travou o camião com a sua própria viatura. Desta manobra não resultaram danos nas viaturas, nem pessoas", indicou.

A PSP refere que existem dois feridos graves. 

No local estiveram três ambulâncias do INEM, a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Hospital de Santa Maria e uma ambulância de suporte imediato de vida de Lisboa. Segundo a PSP, além deste acidente, ocorreu um outro também na Segunda Circular, junto ao terminal 2 do Aeroporto Humberto Delgado.

 O condutor está agora indiciado pelo crime de condução perigosa, podendo também incorrer nos crimes de ofensa à integridade física e de dano. 

Com Sebastião Almeida

Sugerir correcção