Câmara de Lisboa muda direcção de Higiene Urbana

Anterior dirigente municipal pediu a demissão no início do mês. Nova responsável foi assessora de vários vereadores, em Lisboa e Coimbra.

Foto
Rita Rodrigues

A câmara vai ter uma nova directora municipal de Higiene Urbana "para dar um novo impulso" à direcção, diz a autarquia. Ana Filipa Silva Penedos substituirá Victor Vieira, que até aqui ocupava o cargo, se a proposta que vai esta quinta-feira a reunião autárquica for aprovada. Victor Vieira, que fora reconduzido na direcção municipal em Julho, demitiu-se na semana passada.

A nova responsável, que desde 2015 chefiava o Departamento de Reparação e Manutenção Mecânica desta direcção municipal, assume a pasta num momento em que as queixas sobre a higiene da cidade (mais precisamente, a falta dela) se avolumam ao mesmo ritmo que o lixo se avoluma nos caixotes e nas esquinas. Para fazer face aos problemas da recolha de resíduos e da limpeza das ruas, a câmara assumiu recentemente um conjunto de compromissos que espera ter no terreno entre o fim de 2018 e o início do próximo ano.

Fonte oficial da autarquia adianta que a nomeação tem como objectivo "dar um novo impulso" à Higiene Urbana em três aspectos: novos regulamentos que estão a ser preparados, contratos com as juntas de Freguesia no âmbito da delegação de competências e contratação de funcionários.

Ana Filipa Silva Penedos foi, segundo a nota biográfica que acompanha a sua nomeação, assessora da ex-vereadora Graça Fonseca, quando a actual secretária de Estado da Modernização Administrativa tinha os pelouros camarários da Economia, Educação e Inovação. Antes disso, a nova directora municipal tinha sido assessora do vereador da Educação, Desporto e Protecção Civil e, entre 2007 e 2009, assessora do então vice-presidente da câmara, Manuel Salgado. Licenciada em Biologia pela Universidade de Coimbra, trabalhou cinco anos na câmara municipal daquela cidade.

De acordo com a proposta que vai a votação, e que é assinada pelo presidente, Fernando Medina, Ana Filipa Silva Penedos será nomeada em regime de substituição. Actualmente, todos os dirigentes superiores e intermédios da câmara lisboeta exercem funções neste regime, uma vez que a autarquia não abre concursos públicos para estes cargos há pelo menos três anos.