Um T1 por dois mil euros? João ligou a perguntar porquê

João Sanchez tem 20 anos, é de Lisboa e estuda Cinema na Escola Superior de Teatro e Cinema. Quis sair da casa dos pais, ser autónomo, viver sozinho. Não conseguiu. Todos os alojamentos que encontrou eram demasiado caros. "Foi impossível, com as rendas actuais não é possível para um jovem estudar e ter independência”, começa por dizer ao telefone com o P3.

Quando precisou de fazer um vídeo documental para uma disciplina, o tema pareceu-lhe óbvio. “Ver o preço das casas aumentar e as expectativas de futuro a diminuir afecta-me como jovem e estudante que sou”, explica. Decidiu, assim, ligar para os contactos telefónicos de anúncios de arrendamento que circulam na internet e questionar os elevados preços praticados. "Tive a ideia de manhã e à tarde comecei a fazer dezenas de chamadas para depois compilar as melhores”, conta, confessando que perdeu a conta aos telefonemas que fez. 

A iniciativa resultou num vídeo, no mínimo, revelador. E que deve ser visto até ao último segundo. A conclusão do filme A maneira certa de encontrar casa “revela bem qual é o estado da situação”: “Fiquei estupefacto com a chamada final.” Os actuais preços praticados no arrendamento de quartos e casas e a consequente falta de alojamento acessível têm protagonizado fortes protestos entre os estudantes — o que, por aqui, até levou à denúncia de vários anúncios que circulam na internetO filme de João Sanchez tem o selo do colectivo Pagárrenda, um colectivo independente de distribuição de curtas-metragens.

Sugerir correcção